Quem nunca ouviu falar do Cão Coragem certamente não teve infância ou não nasceu na melhor época, entre os anos 90 e 2000. Foi justamente no entremeio que estreou a animação irreverente Coragem, o Cão Covarde da Cartoon Network. Mas foi em 1997 que a animação um tanto quanto estranha dominou a telinha do SBT, e continuou sendo exibida até 2002, quando infelizmente saiu da programação. Porem foi tempo suficiente para marcar a vida de muita gente "veia" hoje no Brasil - eu fui uma delas.

Coragem é um adjetivo marcante, utilizado para designar uma pessoa que tem força, determinação e que está pronta para encarar seus medos, mesmo que isso possa custar sua vida. Viver é para quem tem uma grande coragem, pois, todos temos problemas e enfrentamos nossos "demônios" diariamente, igual fazia o Cãozinho rosa, um pouco tímido, mas muito determinado, e que de covarde não tinha absolutamente nada.

Lugar nenhum

Pra começar, Coragem vivia em uma localidade deserta conhecida como "lugar nenhum"com Muriel , uma dona de casa bem tosca, e o resmungão Horácio, que odiava o animal, vivia pedindo para sua mulher se livrar do bicho.

Diferente das outras animações, Coragem, o Cão Covarde tinha uma linguagem única, estranha e com pegadas de terror, mesmo assim as crianças assistiam e adoravam.  A forma como toda narrativa era contada durante as aventuras e salvamentos constantes do Cão Coragem para com seus donos criava uma mensagem que nem sempre era entendida por quem estava assistindo.

#Fidelidade, #Amor e #Coragem. Talvez essas eram as palavras chaves para definir a grande mensagem que esta animação esfregava na nossa cara e nem sempre éramos capazes de enxergar. Quantas vezes Coragem salvou sua dona dos perigos, das assombrações, dos demônios que apareciam de forma constante em sua residência. Seu amor por ela é imenso ao ponto de dar sua vida pela dela, igual amor de mãe. Algo que vemos muito bem em animais da vida real, que muitas vezes dão suas vidas para manter os donos livres do mal. 

Orácio era o oposto, odiava o cão, e coragem por sua vez, tinha milhões de motivos para deixar seu dono morrer, ser levado por alguma tranqueira e enfim viver uma vida tranquila com Muriel, mas seu caráter e bom coração não o permitia fazer tamanha atrocidade.

Que mensagem tiramos disso? É que mesmo as pessoas que odiamos, ou que nos odeiam, não merecem os maus da vida. Todos temos problemas e ninguém conhece o coração de ninguém. Mesmo assim, o exemplo de coragem em ter coragem de enfrentar seus medos era de um amor sem explicação, para manter sua família unida mesmo com todos os problemas e diferenças, por que ninguém é perfeito, e são justamente essa imperfeições que fazem de "algo", uma coisa especial.

A representação da família também estava ali, eles não tinham filhos, mas Muriel cuidava do seu cão como se fosse. Esse vínculo fez com que o animal criasse algo um pouco escasso nos dias de hoje: Fidelidade. Ser fiel é tão complicado e lidar com pessoas é mais complexo ainda, mas para quem ama, tudo supera, tudo suporta.

Quando você olha para dentro de um precipício, o precipício também olha para dentro de você... (Friedrich Nietch)

Você conseguia ver a forma como coragem gritava de medo, como o medo olhava para ele. Mas nenhum medo era suficiente para desencorajar o personagem de não tentar. Quantas vezes desistimos de algo simplesmente por medo de tentar? Coragem representava isso, e sua mensagem era tão forte quanto qualquer outra, de que devemos continuar, enfrentar e vencer, e se perder, aprender! Ajudar as pessoas mesmo que elas não sejam boas com a gente. Em um mundo cheio de maldade um cãozinho é a melhor representação de como o ser humano devia ser. 

A expressão "nós criamos o nossos próprios demônios", de Nietch, e também dita por Tony Stark em Homem de Ferro 3, nunca foi tão viva quanto na animação. As apresentações dos medos e como devemos enfrentá-los, amar sem afetar, persistir, e não desistir. Coragem nos mostrava de forma cômica como era a vida e a gente nem se tocou, não é mesmo?