Engraçado, comedido, e muito, muito educativo. Essas são as características que dão forma a Ferdinand (no original). Baseado no livro infantil de mesmo nome do escritor Munro Leaf, o longa é da Blue Sky Studios e 20th Century Fox Animation com direção do brasileiro Carlos Saldanha. Conta a estória de Ferdinando, um touro que não gosta de brigar com os outros animais, mas contra sua vontade é levado a Madrid para lutar nas touradas por ser considerado o mais forte e rápido touro.

O enredo traz uma trama de cunho pedagógico, que abrange em especial o público infantil, a fim de trazer a tona a ideia de aceitar os outros tal como eles são. De forma prática, Ferdinando é grande, gordo, forte e rápido, e essas características fazem dele um "animal de briga". Mas isso não o torna dessa forma ainda que sua aparência indique o contrário. Ele é dócil, gosta de flores mais do que tudo, e é extremamente amoroso. Dessa forma, o roteiro apresenta a primeira lição, os esteriótipos precisam ser extirpados para que nós possamos nos ver como gente. Em outras palavras, as pessoas são muito mais do que aparentam ser.

No entanto, por mais que aja lições importantíssimas para serem aprendidas pelos pequenos, o roteiro deveria ter se preocupado um pouco mais com as pessoas que levam as crianças ao cinema, os adultos. A animação é demasiadamente infantil, e isso provavelmente fará os adultos acharem a experiência um tanto longa e cansativa.

A montagem foi muito bem feita, e Carlos Saldanha está de parabéns pela direção lúdica e divertida que dá o tom do filme. Além dos personagens muito bem criados. Conseguimos nos conectar com a tragetória de cada um, e entendemos as ações de todos. Na verdade, a segunda lição desse filme é que nós não somos reflexo dos nossos pais, ainda que sejamos criados para fazer determinada coisa, no fim nós escolhemos quem queremos ser. Todos os personagens são muito bem construídos, principalmente uma certa cabra. Julgando alguns aspectos técnicos, a fotografia é belíssima. A trilha sonora é encantadora. E os efeitos visuais são muito bem feitos, assim como a maioria produzidos por esses estúdios grandes.

Mas na minha opinião, a melhor parte do filme é a terceira lição, a crítica escancarada aos abusos cometidos nos festivais de touradas. Pela "pessoa" de Ferdinando nós nos envolvemos com os maus tratos que os animais sofrem nesse tipo de festividade. E entendemos que o touro não é um objeto de espetáculo para nossa diversão. Sensacional!

Ademais, O touro Ferdinando é um filme que fala sobre amizade, amor, companherismo, e ainda faz um diálogo incrível com a realidade que passamos através das três lições que eu consegui extrair enquanto espectadora e acabo de passar pra vocês. Vale muito ver com a família, pois, é inspirador. Confesso que a cena final me fez ir as lágrimas. É lindo! E é muito bom ver um brasileiro incado ao Oscar numa categoria tão importante com um filme que traz tanto aprendizado. Eu adorei!