A retomada dos slashers, sejam eles remakes ou roteiros originais, vem trazendo fôlego ao subgênero de matança. No entanto, quando falamos de terror, a intenção muitas vezes não se mostra na prática (sabemos o quão fácil é mirar no horror e mergulhar de cabeça na tosquice, no cringe). Fazer o espectador roer as unhas, meus caros, não é tarefa fácil... Uma pena que o novo slasher da NETFLIX exemplifique esse fracasso tão fielmente.

A atmosfera de Tem Alguém na sua Casa se assemelha à de Pânico, com direito a um assassino mascarado perseguindo estudantes de ensino médio e policiais bobalhões. Quanto à possível motivação do vilão, trata-se de um desejo insaciável de expôr os segredos de suas vítimas para logo depois degolá-las friamente. Enquanto algumas revelações conseguem ser minimamente interessantes (quanto à da garota do podcast), a maioria soa extremamente rasa. A direção agrava ainda mais o desenrolar das cenas, pois apesar de certo cuidado estético, a tensão não se mantém - salvas as primeiras duas mortes do filme.

Em contrapartida, talvez pudéssemos apelar para o elenco, mas isso não ocorre aqui. O único traço de personalidade dos jovens parece ser parte de uma minoria e nada mais; não há desenvolvimento e tampouco carisma. Ainda que o cast seja de fato esforçado, o tiro sai pela culatra se o texto é tão superficial quanto uma folha A4. Até mesmo a típica final girl, que em geral carrega nas costas o péssimo elenco ao seu redor, não possui força aqui. O impacto quando seu segredo é exposto, inclusive, é o mesmo que contar ao brasileiro a situação caótica do país: não é surpreendente e tampouco entretém. 

Se por um lado, a fotografia com planos abertos traz uma estética interessante, a cena final vem para derrubar qualquer expectativa de um momento marcante no longa. Tem Alguém na sua Casa teve o êxito de transformar uma perseguição no milharal em algo preguiçoso e anticlimático, onde nem a própria revelação do assassino sobressai. Afinal, suas motivações soam toscas, rasas e mal trabalhadas, bem como 80% do filme. Mais um produto descartável para o terror - infelizmente...