No último dia 17, a Netlfix, lançou mais um filme em seu catálogo: "See You Yesterday" traduzido exatamente como "A Gente se Vê Ontem" que conta-nos sobre dois cientistas prodígios adolescentes que tem o desejo de realizar uma viagem no tempo para revolucionar a ciência e mudarem as próprias vidas. Temos como protagonista CJ (Eden Duncan-Smith) e seu melhor amigo Sebastian (Danté Crichlow) que são daquele tipo que não desistem nunca e, mesmo com várias tentativas falhas de voltar no tempo, continuam tentando até que um dia isso realmente dá certo e eles conseguem viajar ao passado, mais precisamente um dia anterior e com apenas 10 minutos de disponibilidade de estarem ali. 

Tudo parece estar as mil maravilhas e podemos até nos sentir assistindo um filme simples só para passar o tempo e ficar viajando na ideia de viagem no tempo, mas aí que estamos enganados. A morte inesperada de um dos personagens do filme causa impacto marcante a nós e principalmente a protagonista. Por conta disso, a trama se desenvolve inteira na tentativa de corrigir esse erro causado pelo experimento mal planejado dos dois amigos, fazendo-nos questionar se será mesmo possível consertar aquilo sem causar um caos ainda maior. 

É comum em filmes sobre viagens no tempo termos sempre aquele medo e apreensão de prejudicar a linha do tempo e toda aquela história de que alterando o passado, estamos alterando o presente e o futuro, fora aquelas regrinhas simples de não poder ser visto por si mesmo podendo causar sua própria remoção do mundo. E não, nesse longa não é diferente. E isso é bom! Porque se não seguisse essa linha geral, seria mais complicado para explicar todo um novo conceito de viagem no tempo em um filme tão curto (1h27min).

Então o que faz essa obra ser tão diferente do que estamos acostumados nessa categoria? É só trazermos para o aspecto social. Primeiramente, temos uma protagonista mulher negra, o que já uma quebra de padrão quando tratamos de filmes de ficção científica (e também uma luta constante em todos os outros gêneros cinematográficos). Também é importante destacar que a história se passa no Brooklyn (NYC) numa área que a predominância é de pessoas negras, então temos muita representatividade. E por último, o ponto principal, o drama é todo desenvolvido em cima do preconceito racial e o quanto as pessoas negras sofrem nas mãos da negligência policial. Mostrando-nos o quão comum é nessas comunidades policiais matarem pessoas inocentes por confundirem com os reais bandidos antes mesmo de se certificarem. 

Porém, isso não faz o filme ser perfeito. Saindo da parte social e tratando-se apenas de um filme de ficção científica, o filme não é dos melhores. Existem muitos furos no roteiro e os efeitos especiais são um tanto quanto mal feitos. Chega um momento que se torna cansativo toda a repetição de viajar no tempo-errar-voltar-viajar no tempo, o que acaba tirando mais alguns pontos positivos. Mesmo sendo um drama, há momentos que mais parece uma comédia, devido aos péssimos efeitos especiais e algumas más expressões faciais de certos artistas. 

Contudo, vale a pena sim assistir A Gente se Vê Ontem, pois mesmo com todos os pontos negativos, é um filme rápido, que envolve e não exige que você quebre a cabeça, sendo ótimo para passar o tempo e de bônus ainda ter toda essa crítica social que nos faz refletir muito sobre nossas próprias atitudes. E como essa é uma crítica sem spoiler,  sobre o final, resta apenas dizer que é confuso, nos faz querer procurar teorias na internet e deixa sim uma brecha para uma possível continuação.