Achou que não existia filme perfeito? Achou errado, otário.

Neste novo longa do universo do herói da vizinhança, temos Miles Morales como o centro da trama. O jovem, ao ser picado por uma aranha radioativa da Alchemax, ganha os mesmos poderes do Aranha original, e então começa a esbarrar com outras versões do herói de diversas dimensões, e juntos precisam enfrentar uma ameaça comandada por Wilson Fisk que pode destruir toda a realidade como conhecemos.  

O texto é, sem dúvidas, um dos melhores de todos os filmes do Aranha e também dos filmes de super-heróis em geral. Flutuando entre a comédia e umas pitadas de drama, o longa é em sua essência, totalmente coerente e orgânico. Rapidamente somos levados para dentro da história, mergulhando nessa trama envolvente junto com os personagens. Acompanhar Miles é divertido e cativante, e acima de tudo, autêntico; verdadeiro; dono da uma voz própria.

Claro que não para por aí. Apesar de Miles ser o protagonista, outros personagens como Peter B. Parker - de outra dimensão - também encara sua própria jornada de vida durante o Aranhaverso. Ele vive um momento triste em sua vida, e precisa encarar as consequência de suas decisões para entender como seria possível mudar/melhorar sua vida. A junção dos dois - Miles e Peter - é um dos muitos pontos fortes do filme.

Gwen Stacy dispensa apresentações, e é a primeira a aparecer no universo de Miles, e de cara, após alguns eventos, já apresenta todo o seu domínio como Mulher-Aranha. O Homem-Aranha Noir também está presente, encarnado por ninguém menos que Nicolas Cage e dá um show de personalidade e humor. O Porco-Aranha e Peni Parker são outras peças importantes para a história e juntos, os cinco, dão uma certa nostalgia e emoção em tela, além de uma química que beira o perfeito, e todo esse conjunto, dá a coesão da história em um texto sem falhas. 

O vilão da história é Wilson Fisk, o maravilhoso Rei do Crime. O antagonista, sempre movido pelo amor por Vanessa, é dotado de uma intensa presença e personalidade, tal qual o Fisk da série Demolidor

Agora vamos falar do teor revolucionário desse filme.

Pode parecer um pouco complexo explicar como esse filme é importante para o mundo da animação, mas se paramos para pensar, na verdade, é até simples. As técnicas utilizadas levam todas as características e a essência dos quadrinhos para a tela grande. É simplesmente incrível como a direção nos dá a sensação de estarmos lendo realmente uma HQ. Seja pelos traços dos personagens, pelo respeito com a construção do universo de cada um deles, mantendo seus estilos mesmo que no universo de Miles, seja pelas milhões de referências a outras aparições do Aranha, tanto em HQs, como no cinema... Tudo cria um pacote perfeito e equilibrado que traz o filme para um outro nível. Acredite, não há exagero em dizer que este é sim, um dos melhores filmes de super-heróis de todos os tempos! 

O filme é verdadeiro, divertido e ainda assim carrega uma mensagem. Fala sobre as possibilidades, sobre a vida, sobre como qualquer um pode ser um super-herói se quiser, como acreditava Stan Lee. 

As cores vibrantes vieram diretamente das HQs, assim como os balões de pensamentos. A ambientação, as referências, o senso de humor que afeta todas as idades. A impecável trilha sonora e todas as mensagens que o filme carrega. Este é Homem-Aranha no Aranhaverso. Uma obra de arte!