//// CUIDADO! A CRÍTICA DE UNCHARTED CONTÉM ALGUNS SPOILERS DO FILME /////

Quando um jogo de vídeo game é adaptado para os cinemas sempre existem inúmeras preocupações de como Hollywood irá transformar uma história que já sensacional, nos games, para as telas. Temos muitos exemplos de fracassos e acertos como por exemplo o recente Mortal Kombat. Agora chegou a vez de Uncharted uma das franquias mais poderosas da Naughty Dog. O escritor desta crítica já passou por todas as aventuras de Nathan Drake em seus 4 jogos lançados, mas está análise combina uma visão mais livre dessa bagagem. Vejo o filme como uma produção para um novo público e a esperança de uma adaptação realmente bem feita.

A história

Uncharted: Fora do Mapa funciona como um filme prequela da série de vídeo games que tem o mesmo nome. Neste filme temos Nathan Drake (Tom Holland), um jovem ladrão e barman de Nova York que se ver levado a uma aventura pelo mundo ao lado de um grande caçador de tesouros chamado Victor Sully (MarkWahlberg). Ele descobre que Sully e Chloe Frazer (Sophia Ali), outra vigarista, tinham uma ligação com seu irmão desaparecido Sam Drake (Rudy Pankow) e por isso concorda em acompanha-lo para uma caçada ao ouro perdido da expedição de Magalhães. O contraponto fica com os vilões Santiago (Antonio Banderas), cuja família financiou Magalhães e por isso ele acredita ser herdeiro do tesouro, e a mercenária Jo Braddock (Tati Gabrielle) como sua sócia.

O filme é dirigido por Ruben Fleischer (Venom) com um roteiro de Rafe Judkins, Art Marcum e Matt Holloway.

É um filme "fora do mapa"?

Ao que se percebe pelas belas imagens, Uncharted: Fora do Mapa bebe da fonte de clássicos de aventura como Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida e até mesmo Tomb Raider. Se prestar bastante atenção o resultado é algo comum e nada novo. Por vezes se tornando algo que o telespectador já assistiu em algum momento de sua vida. O roteiro também colabora com este cenário de “clichês” conduzindo o filme ao que se espera deste tipo de gênero que seriam: tensões românticas, traições, grandes acrobacias, vilões sem muita expressão e etc. Os diálogos não são tão bons em alguns momentos e parece que os personagens se moldam para acompanhar as reviravoltas. Mesmo com isso, as interações conseguem dar personalidade para os personagens e desenvolve um pouco de suas individualidades na medida do possível.

O filme entrega logo de início uma das melhores cenas de ação para tentar fisgar a atenção do público que fica ansioso para aquele momento chegar. Além disso, Unchaterd é famoso por cenas de ação espetaculares e enigmas complexos o que não se destacam na adaptação. Por vezes as pistas se resolvem rapidamente e os cenários iniciais fazem o telespectador pensar: “Está bem mas... quem construiu essa passagem secreta? Será que ninguém viu isso?”. E as cenas mais "marcantes" ficam para o final quando um navio é içado por um helicóptero e uma boa e visualmente linda perseguição começa.

Os efeitos especiais estão bem feitos e combinam com os cenários paradisíacos. As cores vibrantes durante o dia, e um azulado nas cenas mais escuras, distinguem bem as mudanças de tons entre uma cena e outra levando até para um tom mais dramático. Isso não significa que o filme tem uma carga emotiva muito forte ou plots que sejam surpreendentes. Ele continua numa linearidade de tentar trazer uma profundidade para a história de Nathan com seu irmão, ou construir uma melhor relação com Sully e Chloe.

Ainda é o Homem-Aranha?

Tom Holland é um ator que está se mostrando em vários gêneros como ação, comédia, drama, e isso ele mistura e se adequa para criar o seu Nathan. Claro que ao assistir é inevitável não lembrar que a qualquer momento ele irá saltar e soltar teias pela cidade ou falar “senhor Stark”, pois o personagem ainda está muito fresco na mente das pessoas (inclusive este pode ter sido um dos motivos que levou muita gente a ir ao cinema). Ele tem a ajuda de Wahlberg e Ali, que juntos tem uma química incrível em cena. O trio principal trabalha muito bem juntos trazendo personalidade, ação e comédia.

Nathan Fillion seria o ator ideal para este papel, assim como ele fez em 2018 ao participar de um fã filme (Assista clicando aqui). Mas sabemos que Tom Holland atualmente carrega uma grande preferência do público e, para uma potencial franquia, ele tem a idade perfeita para um futuro amadurecimento do personagem. Em forma de homenagem, um dos easter eggs é a participação do dublador oficial de Nathan Drake, Nolan North.

Tem cenas pós-créditos?

O filme conta com duas cenas pós-créditos que instigam o telespectador a esperar mais aventuras de Nathan e Sully. A primeira resolve um grande plot twist carregado por todo o filme e que pode mudar os rumos de futuras aventuras. (SPOILER) O irmão de Nathan está vivo e em uma prisão mas continua mandando cartas enigmáticas para ele.

Já a segunda cena entrega ainda mais referências para os fãs dos jogos e, assim como a anterior, ajudam na ideia de que um segundo filme vem em seguida. (SPOILER) Nathan está negociando algo relacionado com o seu colar antigo quando se mete em uma emboscada. O primeiro olhar de um fã é ver a roupa que ele veste ser a mesma do jogo e logo em seguida Sully aparece em cena com seu bigode característico.

Considerações Finais

Uncharted tem seus méritos. Ele possui uma fórmula que pretende agradar um público já existente (através de referências muito nítidas) e conquistar um publico novo que não precisa ter jogado nenhum dos Uncharted's para entender está história de origem. É exatamente isso, uma história de origem que se baseia em um jogo com um grande potencial de aventura. Os atores conseguem levar seus personagens na medida que o roteiro quer leva-los, as cenas de ação deveriam ser mais “mentirosas” e icônicas, isso sim seria o destaque pra filme, trazendo mais originalidade e essência dos games.

É uma adaptação agradável, respeitosa, mas infelizmente esquecível e sem muito o que comentar após sair da sala de cinema. Para encerrar eu coloco uma frase dita no game que combinar perfeitamente com esta adaptação:

“Por Mais Emocionante Que Seja A Próxima Aventura, No Final, Você Sempre Fica Com O Mesmo Sentimento.”

Unchaterd: Fora do Mapa está em cartaz nas redes de cinema Cinesystem, compre já seu ingresso.