play_arrow
Assista ao trailer: Jurassic World: Reino Ameaçado - Trailer Internacional 3 (Universal Pictures) HD
videocam

Preciso começar essa crítica falando que não entendi o porquê de algumas críticas serem negativas e relatarem falta de empolgação. O filme cumpre muito bem o seu papel e nos faz querer assistir os novos desenvolvimentos do próximo filme (que está em aberto).

Indo para o roteiro do quinto filme da franquia de Jurassic Park, temos o desenvolvimento dos eventos de Jurassic World após a destruição do parque dos dinossauros e os problemas que agora existem na ilha. A empresa quebrou tendo que pagar milhões em indenizações aos visitantes que estavam presentes no fatídico dia e agora a ilha está ameaçada por um vulcão que está prestes a entrar em erupção e matar todos os dinossauros.

Cabe aqui a Claire (Bryce Dallas Howard) uma tentativa desesperada de salvar os animais da extinção, depois da negativa do governo em ajudar, procurando outros meios. Ela se junta a Zia (Daniella Pineda), Franklin (Justice Smith) e nosso amado Owen (Chris Pratt) e vão para ilha salvar os dinossauros com as próprias mãos.

O roteiro é bem fechadinho e se preocupa muito em contar os detalhes que levaram aos acontecimentos do novo filme, o que facilita caso você não conheça a franquia ou tenha assistido algum dos outros filmes. Um exemplo é a relação de Owen com Blue, já há muito tempo falada, mas se você só assistiu a Jurassic World: Reino Ameaçado você conseguirá entender perfeitamente.

Ele traz grandes acertos e nesse ponto trazemos a computação gráfica dos efeitos na ilha e o bom trabalho feito com os dinossauros; além disso tem uma trilha sonora muito forte que compõe o cenário das cenas de ação, apesar de achar em alguns momentos a trilha mais sombria do que deveria; e para fechar, as atuações, com Pratt incrível e bem cômico e Howard combinando bastante com ele (apesar de só rolar um beijo, a relação deles é bem profunda e consegue passar isso).

A parte cômica dá a leveza necessária para um filme tão violento, com dinossauros comendo gente a torto e a direito, e o personagem de Justice Smith é maravilhoso nesse sentido. Todas as cenas dele na ilha gritando desesperado me fez rir e achar o máximo, apesar dele sumir por boa parte do filme e só voltar no final quando ninguém mais lembrava dele. E talvez esse seja um dos grandes pecados do filme, aproveitando muito pouco seus personagens secundários, assim como fizeram com Zia. O filme também trabalha com alguns aspectos bem sombrios e um suspense não visto no último filme lançado, algo novo e assustador na franquia.

Temos cenas lindas e emocionantes, como alguns com os dinossauros na ilha e de Maisie (Isabella Sermon) com o avô. Aí temos o combo emoção, drama, comédia e ação muito bem traçado no filme. E falando em Maisie a garotinha consegue roubar a cena no plot twist mais inesperado do filme. Fiquei impactada pois não esperava de jeito nenhum e ganha um fôlego enorme para a história do próximo filme da franquia.

A cena final de Blue com Owen também diz muito, principalmente depois da atitude de Blue e sinceramente? Não dá para culpar os dinossauros depois de tudo o que eles passaram. Se Blue tem tanta empatia assim, também temos que entender o lado dela (sim eu estou falando do dinossauro, tão protagonista quanto qualquer figura humana). E não podemos esquecer da cena pós créditos que é bem curta mas mostra como se dará a história de Jurassic World 3.

No final o saldo é muito positivo com um belo trabalho de direção e produção aliados a uma história nova que conquista novos públicos e animam os fãs de longa data dos 25 anos da franquia de Jurassic Park. Eu pelo menos gostei.