‘E se fosse a gente' é aquele tipo de livro que você ama e odeia ao mesmo tempo de tão fofo e revoltante é. Na trama escrita por Becky Albertalli e Adam Silvera nos conta a história de Artur e Ben, dois jovens gays que se conhecem por acaso em uma agência dos correios, coisas do destino. 

 E bota destino nisso, porque Artur nem mora em Nova Iorque, ele está passando o verão na cidade fazendo estágio na empresa de sua mãe. Artur ama música e imagina que a vida deveria ser um verdadeiro musical da Broadway. Ele acredita em destino e usa uma gravata de hot-dog que é simplesmente perfeita.

 Por outro lado ,Ben é o típico nova-iorquino e acabou de sair de um relacionamento, e não quer saber de outro nem tão cedo, ele só quer se livrar de todas as coisas do seu Ex-namorado, e pra piorar, vai ficar em recuperação na escola. Achou ruim? ele vai ficar em recuperação o verão inteiro na mesma sala que seu Ex, o fim da sua carreira. Ele gosta de escrever, e diferente de Artur, Ben não acredita em destino. 

 Já falei que eles se conheceram em uma agência dos correios, certo?  Pois só se conhecerem mesmo, porque o destino inventou de separá-los,  e ambos ficaram sem saber o nome ou telefone um do outro. Vida Cruel!!!!!! E tudo isso por causa de um de um evento que começa do nada no local. 

 Contudo, Artur, o ser mais maravilhoso que existe nesse livro, não se dá por vencido e decide procurar Ben em todos os lugares. É povo, o gato é determinado e corre atrás dos seus objetivos, ou melhor do Boy. A partir daí  Becky Albertalli e Adam Silvera constroem uma narrativa super divertida, que vai do amor ao ódio em cada linha,  recheada de referências do universo da cultura pop, a cidade caótica de Nova York se transforma em uma história de romance de jovens digna de um musical da Broadway que tanto Artur como a gente iria amar assistir. 

  A busca incansável se torna tão interessante que você simplesmente não consegue parar de ler, sempre querendo saber cada vez mais sobre eles e de como finalmente eles vão se encontrar. Será que eles vão se encontrar? Bem, não vou dizer mais nada, sem spoilers.  

 O livro também nos mostra o lado familiar dos personagens e de  como seus familiares tratam a sexualidade deles,e é justamente esse ponto que o livro se torna mágico, uma vez  a sexualidade tanto de Ben como a de Artur é tratada de forma leve e natural, como deveria ser em todas as famílias, é lindo de ler. 

  Além disso, o livro nos traz outros personagens  que fazem com que o livro fique ainda mais interessante, como é o caso do amigo de Ben, Dylan, que hétero. Sério, ele é bastante divertido e cheio de carisma, não tem como não amar. Mas a narrativa vai além,  pois mostra uma amizade tão genuína entre eles, tipo a do Otis com o Erik, deu pra pegar a referência? 

 

 Enfim, E se fosse a gente é perfeito e não me surpreenderia se logo, logo ele fosse adaptado para série ou filme, assim como a outra obra da autora, ‘Com amor, Simon. O livro nos leva a  pensar que o amor pode ser encontrado em qualquer lugar, hora, dia. E se você o encontrar o que faria? 

Título : E se fosse a gente 

Autores: Becky Albertalli e Adam Silvera

Ano de lançamento: 2 de agosto de 2018

Editora:  Intríseca