Eu Nunca… é a mais nova série da Netflix, a trama se trata de uma comedia, que fala também sobre amadurecimento e a vida complicada de uma adolescente indiana americana de primeira geração moderna. 

A série em questão é inspirada na vida da comediante e atriz Mindy Kaling, conhecida por interpretar Kelly Kapoor em The Office e que também está no elenco de grandes sucessos como: Uma Dobra no Tempo (2018) e Oito Mulheres e um Segredo (2018). Com todo esse cartaz, o serviço de Streaming deu sinal verde quando Kaling apresentou o projeto, a atriz por trás da criação e produção executiva.

Devi pedindo as bençãos dos deuses hindus para enfrentar o colegial

A história acompanha as aventuras de Devi (Maitreyi Ramakrishnan), uma jovem de origem indiana e pavio curto que a coloca em situações difíceis. Atualmente ela está no segundo ano do ensino médio, lidando com todos os desafios dessa idade: tentar se encaixar, sair do lado esquisito da força, vencer o rival, namorar o cara mais lindo da escola. Todos esses pontos são comuns em histórias do gênero, mas o diferencial de Eu Nunca… é a forma real com que a série os trata.

Logo no início da trama somos apresentados ao grande trauma emocional familiar que a garota vem passando e de como ela se esquiva deles de todas as formas possíveis. Com isso, vemos que ela realmente não sabe o que está fazendo: em alguns momentos ela é egoísta, revoltada, insensível e em outros ela se torna gentil, doce, engraçada e atenciosa.

Um ponto bem interessante da trama é a origem da personagem, dando vida à história mostrando os contrapontos da adolescente com sua família. Ela é completamente americana e enquanto sua mãe e prima tentam manter as raízes indianas, Devi apenas as ignora. Muito se deve a realmente ela não se sentir parte daquela comunidade. Tal assunto é questionado quando em uma das festividades ela encontra com seu amigo que assim como ela banalizava a sua cultura e após ampliar sua mente se vê completamente entregue a sua herança.

Ótimos coadjuvantes

O roteiro de Eu Nunca... consegue ser tão diverso que destaca os coadjuvantes sem tirar o protagonismo da principal e dá a eles seu próprio enredo.

 Fabiola, Ramona e Devi

No núcleo escolar conhecemos as duas melhores amigas de Devi, Fabiola (Lee Rodriguez) e Eleanor (Ramona Young), ambas com personalidades completamente distintas. Fabiola é uma gênia da robótica, introvertida e cheia de dúvidas com relação a sua sexualidade. Eleanor por outro lado é completamente extrovertida e ligada as artes, sua criatividade é tão pulsante que ela extravasa em suas vestimentas, ela é a única das amigas com um relacionamento com um garoto, mas não torna a trama dela menos interessante. Questões de relacionamento com a mãe vem a toda nos mostrando uma realidade bem difícil para a garota.

Ainda no ambiente escolar temos o rival de Devi, Ben Norris (Jaren Lewison), sua vida poderia ser considerada “perfeita”. Garoto rico, inteligente e ele facilmente poderia ser retratado como alguém arrogante, mas a realidade é outra, o preço de tanto luxo é a ausência dos pais, que transforma o garoto em alguém solitário, mas de bom coração, que também tem seus erros, mas no fim não deseja fazer mal a ninguém. Em outro ponto vemos a paixão avassaladora Paxton (Darren Barnet), que na grande realidade é a válvula de escape para que ela não precise lidar com seus problemas de verdade. Apesar de popular é um bom garoto e bastante gentil.

Devi, Kamala e Nalini

No âmbito familiar temos que destacar Nalini (Poorna Jagannathan), mãe de Devi. A personagem é construída como uma mãe rígida que se preocupa demais com a filha. Mas na realidade, ela está passando pelo mesmo problema da garota, dificuldade de lidar com a perda e está também fugido das emoções. Com isso, Nalini acredita que precisa ser forte o tempo todo e jamais demonstrar fraqueza.

Outra personagem de destaque é Kamala (Richa Moorjani), prima de Devi, a mulher perfeita: linda, doce, gentil, obediente, inteligente, calma e sempre na linha. A história da garota começa a ter mais profundidade quando sua família indiana quer que ela tenha um casamento arranjado, como faz parte da tradição indiana, mas na realidade ela não quer casar, e não pretende seguir os costumes mais tradicionais, como parar de trabalhar em definitivo quando tiver filhos. A personagem foi aos EUA para estudar e pretende ter uma vida independente, com um companheiro que caminhe ao seu lado e não à sua frente.

Vale ressaltar que todos esses temas foram tratados em 10 episódios de 20 minutos.

Drama e comédia na medida certa

A mistura desses dois elementos foi dosada perfeitamente, em momentos fazendo você rir, como nas cenas em que Devi conversa com sua terapeuta, a Dra. Ryan (Niecy Nash), a menina não parece ter filtros como paciente, pedindo coisas como bebidas e calcinha fio dental. E as vezes a tristeza bate com as lembranças de Mohan (Sendhil Ramamurthy), pai da garota.

Considerações finais

Eu Nunca... realmente é um grande acerto da Netflix, toda questão dos dramas e da comédia na medida certa com a narração bizarra do tenista John McEnroe, nos faz lembrar um pouco da atmosfera de Jane The Virgin. E assim como Jane, a trama utiliza uma história com aspectos fictícios e cômicos para trabalhar emoções extremamente realistas.

A série vem conquistando a mídia especializada. A mesma conta no momento com apenas 14 avaliações feitas no Rotten Tomatoes, mas garantiu 100% de aprovação da mídia especializada. Ainda não se sabe se a trama vai ganhar uma segunda temporada, mas considerando o seu sucesso já é de suspeitar que a renovação vem!

Dra. Ryan, icone.