Love Alarm é um Kdrama ou como alguns chamam um dorama sul coreano presente no catalogo da Netflix. Com uma pegada meio ‘Black Mirror  do romance’ a serie é composta por 08 episódios e foi baseado no webtoon (quadrinho online) JoAlarm da escritora Cheon Kye Yeong. Com uma narrativa levemente futurista, a historia nos fala sobre um aplicativo de celular que informa se alguém num raio de 10 metros ama você.

Inicialmente a trama parece bem atrativa tendo em vista a temática meio Black Mirror, unindo tecnologia e emoções e como essa combinação pode fazer a sociedade entrar em colapso  mostrando o seu pior lado, pois com o lançamento do aplicativo e seu uso descontrolado vem toda um problemática de exclusão (para aqueles que são rejeitados) e de vantagens ( para aqueles que são mais ‘populares’) .

A narrativa inicial pode causar um pouco de estranheza, pois ele não inicia da forma que estamos acostumados (apresentação + desenvolvimento + final). A historia tem seu inicio num futuro onde o trio principal já não está mais na vida um do outro e depois sem qualquer aviso prévio é inserido um passado e mostrado como eles se conheceram, deixando bastante confuso ao espectador.  

Kim JoJo (Lee Ah-yeon), Sun-Oh (Song Kang) e Lee Hye-yeong (Jung Ga Ram)

Depois desse primeiro momento desordenado somos apresentados aos protagonistas, Kim JoJo (Lee Ah-yeon), Sun-Oh (Song Kang) e Lee Hye-yeong (Jung Ga Ram) e ai já vemos o famoso triangulo amoroso. Os dois amigos, Sun Oh e Hye Yeong se veem gostando da mesma garota a Kim Jojo, e mesmo sabendo  que seu melhor amigo estava gostando (bem antes dele até) da mesma garota, Sun-oh vai adiante com sua paixão e com objetivo de conquistar a Jojo.

Apesar de ter como seu tema principal o romance, ele não se torna o assunto mais forte da trama, as histórias de cada personagem são mais interessantes, e bem melhor construídas do que o romance principal. Possivelmente pela falta de química do casal e o interesse raso do protagonista, faça com que o público não compre muito a ideia deles juntos.

Ao decorrer da narrativa o relacionamento do casal principal se mostra interessante, isso se deve ao fato dele demonstra maturidade e companheirismo para entender os problemas dela e a apoiar, sem ao menos perguntar seus motivos, ele só está ali por ela. Nessa parte a empatia com o casal é gerada e você passa a torcer para que as coisas enfim melhorem.

Sun Oh com Hye Yeong

A relação de Sun Oh com Hye Yeong também é um atrativo interessante devido a sua complexidade. Os dois conhecem desde muitos novos, a mãe de Hye Yeong trabalha para a família de SunOh. Devido a família dele ser tão disfuncional desde criança o HyeYeong cria um vinculo de protetor em relação ao SunOh, muitas vezes e tornando ate desigual, pois ele sempre abre mão de tudo para que o mais novo esteja bem.

Puxando para um lado mais filosófico, a trama em todos seus 08 episódios se utiliza bastante de metáforas sobre a validação, aceitação, a necessidade do “amor” a todo custo. E vai além, aborda também as consequências da popularidade do aplicativo. As classes que foram separadas de acordo com o número de pessoas que já te amaram, e assim é criado o “Clube dos Preferidos”, onde consiste em um grupo de pessoas padronizadas como o tipo ideal. E toda essa ficção condiz bastante com nossa realidade através das mídias sociais a sociedade tende a procurar qualquer tipo de validação e se enquadrar em alguma classe que o destaque, mesmo que tudo seja um mundo superficial.

A temporada acaba com um final bem inconclusivo e deixando bastantes perguntas do ar. Já sabemos que a dona Netflix vai aderir o mesmo método de Primeira Vez Amor, que teve 2 partes . Ainda não há previsão para a estreia da continuação, mas você pode assistir primeira parte que está disponível no serviço de streaming.