play_arrow
Assista ao trailer: Colony Season 2 Trailer #2 (HD)
videocam

Passada a introdução na primeira temporada e o inicio do regime militar “extraterrestre” a divisão de blocos e um jogo político que vem dos céus à terra, nos pegamos em uma segunda temporada que nos promete (com o fim da primeira) mais ET’s e naves, e nos entrega mais rebeldes.

A saga de Will Bowman (Josh Holloway) em busca do seu filho Charlie continua agora com a colaboração de sua esposa Katie Bowman (Sarah Wayne Callies) já aliada aos rebeldes comandados por Broussard (Tory Kittles) a temporada trás para o público 13 episódios intensos, e com um jogo de pensamento forte retratados de forma reversa.

No inicio nos pegamos com o medo de Colony não se perder como Falling Skies (infelizmente) se perdeu em seu roteiro, suas colagens e efeitos especiais. O que acontece em Colony é o oposto, mesmo com uma série sobre o futuro, colony nos trás traços de modo presente o que poderíamos viver em um regime militar, mesmo ele sendo comandado por “Extraterrestres”, isso envolve costumes, política, família, e por incrível que pareça Religião foi inserida na segunda temporada.

Tudo consegue ser muito detalhado e talvez por isso falte um pouco mais de tempo ou quem sabe “episódios” para uma conclusão mais explicada da mesma forma que a história é contada, são muitos assuntos entrelaçados desde o drama familiar com Bram Bowman (Alex Neustaedter) mais rebelde, o jogo político de Alan Snyder, com um salve para mais uma bela atuação de Peter Jacobson, e a inserção da Religião fazendo com que cada bloco criasse sua própria crença em “Hospedeiros” como são chamados , prometendo aos fieis como toda religião um Grande Dia, ou O Dia da Salvação.

A Segunda temporada trás também a inserção de um novo grupo de Rebeldes, ainda mais violentos que os comandados por Broussard, esses serão menos impiedosos e faz a trama ter uma ação que a primeira temporada não teve, sente-se falta de uma introdução, aparenta-se que surgiu do nada e sem propósito, no fim se torna importante pra trama tudo o que os novos rebeldes fazem surtem efeito no roteiro do próximo ato.

Por fim a segunda temporada consegue ser mais intensa e menos monótona (Não menos falada) que a primeira, é notória a evolução nos efeitos, na qualidade das lutas e da ação.

Muito nos agrada esse jogo psicológico e político que a série tem em saber usar a mente das pessoas para nos colocar no lugar delas e fazer pensar o que faríamos naquela situação. Acima de tudo Colony tem uma mensagem de até onde você é capaz de ir por quem você ama, na política, na vida, na religião, no trabalho. Não é apenas uma ficção, muito menos uma trama política, Colony vai entrar na sua mente e fazer de você um refém dentro de uma verdadeira colônia.