O Mecanismo é uma série original da Netflix, dirigida por José Padilha. A história permeia os dez anos das investigações do caso de corrupção mais podre do Brasil- a Lava Jato. Na trama, Selton Melo encarna o policial que deu início as investigações em 2003 e que foi afastado por começar a incomodar os "grandões". Além de afastado, recebeu um laudo de louco e por isso precisou se aposentar. Em seguida sua assistente assume as investigaçoes. Demoraria 10 anos para eles estarem perto de descobrir algo grande. E põe GRANDE nisso.

A montagem da série foi o que mais me chamou atenção. No início, nós telespectadores, estamos iguaizinhos a eles, não temos como provar que determinado personagem é culpado de algum crime embora saibamos que ele tem o dedo podre. O que eu achei mais interessante é que querendo ou não nós sabemos exatamente o que aconteceu, já que a série é totalmente baseada em fatos que nos assolam desde 2014, quando tudo realmente estourou. Mas mesmo sabendo dos fatos em si, várias coisas acontecem para nos mostrar que nós não sabemos de nada, e que estamos, assim como eles, entendendo como tudo aquilo realmente funciona. E é muito bom que tal situação aconteça, visto que o fato de estarmos cientes sobre o ocorrido, e a série só nos relembrar do sucedido, faria com que o roteiro fosse pobre e a trama monótona. E cá entre nós, ele está longe de ser medíocre.

As atuações foi o que deu força a série, porque os diálogos por vezes são muito longos, e precisam de corpo para serem bem compreendidos pelo grande público. Selton Melo dá toda a pitada de drama que a série clama para que não se torne só um trabalho de exposição. Adorei ver as figuras de Lula, Dilma, Aécio e seus respectivos amiguinhos, principalmente porque aqui eles não foram retratados de forma caricata, nós sabemos que são eles porque conhecemos as peças deste quebra-cabeça. Acredito que a atuação desses personagens foi exemplar dentro do tempo que eles tiveram em tela. Além dos diálogos incríveis que me fizeram rir até não aguentar mais. Moro é um cara sério dentro do contexto que está inserido, e também está bem retratado. Agora, os investigados... nossa, que atuações maravilhosas. Aqui enalteço em particular a atuação de Henrique Díaz, seu personagem é um cara malandro que sabe que é bandido e não tá nem aí porque sabe que vai se livrar da prisão de uma forma ou de outra. O ator conseguiu transpassar isso muito bem. O grupo de policiais federais é de tirar o chapéu. Conseguiram mostrar como é difícil ser policial decente no Brasil, e mais, que sem recursos conseguiram no mínimo fazer a população acordar pra um escândalo que envolvia peixe grande. O que eu mais amei foi a forma como conseguiram explorar o drama de seus personagens, isto fez com que eu ficasse envolvida durante toda uma noite para saber como aquilo poderia terminar.

A primeira temporada destrincha as origens da investigação quando dois policiais, Ruffo e Verena, se propõem a acabar com o negócio milionário de um astuto criminoso especializado em lavagem de dinheiro. Em sua batalha, travada – não sem atritos – com o Ministério Público e um juiz vaidoso, descobrem que o mecanismo corrupto é muito maior do que esperavam e chega aos escritórios de deputados, partidos políticos, funcionários públicos e dos principais empreiteiros do país. O roteiro é bom, mas por causa do gênero a qual a série pertence por vezes há uma atenção maior a coisas que não são tão relevantes.

Mas vamos ao que realmente chama atenção na série, as manobras políticas. Padilha sabia que ia gerar polêmica, e ele adora isso. Mesmo gostando da coisa, ele nos forneceu um roteiro mais "imparcial", que mostra a corrupção que não tem lado ideológico, mas acontece. Isso fica mais que claro quando ele alfineta TODOS OS ENVOLVIDOS NO FATO, de Moro a Lula. Mostra também que nesse jogo não há heróis e vilões, há pessoas inteligentes que se precavem de todas as formas possíveis para não serem descobertos. Do outro lado há gente que quer ser reconhecido, e provavelmente por pura vaidade dá uma de bonzão. Ninguém é herói, todos tem motivos para fazer o que fazem. Porque esse é o nosso país, é assim que funciona por aqui, vale tudo para estar no poder. Enquanto isso, você que depende do SUS espera meses para conseguir uma consulta. E na minha opinião, isso precisa mudar! Que bom que essa série foi lançada em ano de eleição, já que as pessoas não assistem jornais que assistam O Mecanismo, porque mesmo sendo ficção faz com que nós coloquemos nosso cérebro para funcionar e pensemos no que realmente é importante para nós. Não existe direita e esquerda no Brasil, eles são TODOS FARINHA DO MESMO SACO. De Bolsonaro a Lula, nenhum presta! A corrupção é um câncer, precisamos começar a combater essa doença. E defender partido/político que é ladrão, que não presta, torna você tão corrupto quanto ele, só que você não tem o dinheiro. Entendam de uma vez por todas que ideias são melhores do que polarizações políticas. E pelo amor de Deus parem de votar pensando somente em suas próprias barrigas, ou Brasil vai continuar sendo esse imenso piloto de bosta.

No mais, O Mecanismo é um série intrigante, bem feita, com algumas coisas que deveriam ser melhoradas mas que são comuns a ficções dramáticas. Os episódios tem duração padrão de séries e essa primeira temporada tem só 8 episódios. Isso significa que pode vim uma segunda, terceira, quarta, enfim. Eu estou adorando ver os candidatos/políticos/ladrões no Twitter tentando limpar suas fichas. Se eles não fossem culpados realmente precisariam estar fazendo isso? Pense!