Doona! É um drama sul coreano que explora a realidade da vida, amadurecimento e do amor intenso. Do mesmo diretor de Crash Landing on You (2019) e Romance Is a Bonus Book (2019), Lee Jung-hyo nos guia através de suas lentes para mais um romance inesquecível.  

A história gira em torno de Lee Doona (Bae Suzy) uma ex-estrela de Kpop, que decide se afastar dos palcos bem no auge de sua carreira, solitária e fria, ela acaba conhecendo Lee Woojun (Yang Se Jong), um universitário do interior que se muda para o dormitório ao lado do local de onde a estrela vive. Com o passar o episódios eles engaram um  romance é ardente e intenso, e podemos dizer que conflituoso.

Doona! Review: Bae Suzy and Yang Se Jong's intense romance serves as a  reminder of celebrity struggles - Times of India

A Trama

Wonjun, um estudante universitário, muda-se para uma Share House quando descobre que um de seus colegas de casa é um vocalista famosa de Kpop, que faz parte do popular grupo musical Dream Sweet. Embora inicialmente haja pouca ou nenhuma interação entre os dois - visto que Doona prefere ser deixada por conta própria - a dupla lentamente inicia uma amizade depois que WonJun leva Doona às pressas para o hospital após uma pequena emergência de saúde.

As vidas e relacionamentos de atores e ídolos estão quase sempre sob constante debate e apuração na Coreia do Sul. Uma versão altamente romantizada disso, muitas vezes onde eles se apaixonam por "plebeus", tem sido um tema recorrente em muitos Kdramas , incluindo Shooting Stars (2022) , Full House (2004) , So I Married an Anti-fan (2021) , Fan Letter Please (2022) e Touch Your Heart (2019) . Reduzir Doona! a simplesmente a um romance, seria um grande desserviço. 

A  essência do drama está na amizade, o companheirismo e principalmente na cura. Baseado no manhwa sul-coreano 'The Girl Downstairs' de Min Song-Ah, o drama de nove episódios sobre a maioridade é matizado, comovente e melancólico, quase tanto quanto repleto de esperança e uma sensação de alegria silenciosa. .

Seguindo uma linha não linear, o drama acaba com longos flashbacks ou longas conversas sobre o passado de Doona, ou as razões por trás de seu hiato da vida de um ídolo. Temos vislumbres - de Doona se sentindo desligada no palco, imaginando-se se afogando, atrapalhando-se durante as apresentações ao vivo, a hostilidade dos membros de seu grupo musical e o comportamento inadequado dos fãs. Não é difícil perceber aqui que seu ecossistema a decepcionou. Há pouco ou nenhum apoio e uma total falta de empatia por parte das pessoas ao seu redor. Há uma constante alerta dela sobre não ser capaz de cantar, mas ninguém parece ouvi-la ou mostrar qualquer interesse em ajudá-la a descobrir o porquê.

Quando Wonjun e ela iniciam uma amizade lenta e doce, o mundo de Doona parece se abrir. Ela finalmente tem um amigo, alguém com quem ela se encontra para refeições, sai e até dá dois centavos quando ele desabafa sobre sua paixão. Claro, há um romance surgindo no horizonte, mas são esses momentos de companheirismo confortável e silêncios compartilhados que fazem a historia especial.

O que torna isso ainda melhor é como Doona é naturalmente introduzida no círculo por seus colegas de casa. Felizmente, o programa opta por não se preocupar com o choque ou admiração pelo status de celebridade e essa fácil aceitação desempenha um papel importante na jornada de cura de Doona. 

Bae Suzy como Lee Doona em 'Doona!'

Doona!' is the newest Korean drama to hit Netflix. Why the genre is growing  in popularity in the U.S. — and what American TV can learn from its rise.

Sem Salvador para Mocinha

O diretor Lee Jeong-hyo e o escritor Jang Yoo-ha exercem moderação e maturidade ao longo dos nove episódios da série. Doona nunca entra no território do salvador - Won-jun é uma parte importante de sua jornada, mas o relacionamento deles é muito mais complexo.

Um dos maiores triunfos do elenco deste ano foi Bae Suzy como Doona. O papel parece ter sido escrito para ela, e ela é a dona do papel. Ela é perfeita e sem esforço, seja por ser vulnerável e desmoronar, seja por canalizar seu lado efervescente. Há melancolia, calor e esperança que ela traz à vida na tela.

Em Doona , até o triângulo amoroso vai além. Shin Ha-young, que interpreta a charmosa e afável Kim Jin-ju, não está apenas reduzido a um segundo papel principal. Ela faz parte das jornadas de Wonjun e Doona de várias maneiras e, felizmente, também consegue um arco completo e não é esquecida no churrasco.

???????? 14

Pontos Favoráveis

O drama oferece alguns momentos realmente lindos de tirar o fôlego entre os pares principais e a intensidade, o que é suficiente para deixar você confuso. Tanto Suzy quanto SeJong acertam em seus respectivos papéis. Sua química 'alta química' totalmente, dando frio na barriga para quem está assistindo.

Suzy é uma profissional em alternar entre risadas mortas e Doona verdadeiramente feliz. Ela incorpora lindamente o humor de Doona, o que torna difícil não ter empatia pela personagem. Por outro lado, a sinceridade e genuinidade de Se-jong são imperdíveis. Ele realmente traz aquela energia ‘pura’ e ‘ingênua’ para WonJun, o que também é admirável e invejável.

O uso de luzes quentes para capturar momentos de ternura é uma característica clássica de Jung-hyo que está presente em todo o roteiro.

A OST é linda, o que realmente vai de encontro com o que esperar da série. Não entre, considerando que é sua comédia romântica normal. Não é. É agridoce, de queima lenta, quase sombrio em algumas partes e cativante. Os dois personagens principais são desenvolvidos de uma forma que parece proibida, mas real. É mágico.

???????? 28

Veredito

Jung-hyo manteve intacto seu legado de abertura com este também, o que pode ser frustrante para muitos, mas a beleza disso está em seu enigma

Doona! é um drama um tanto, diferente dos kdramas desse ano ele é lento e silencioso e utiliza isso como forma narrativa, existe momentos de suspense, bela cinematografia e romance digno e uma narrativa que nos deixa curiosos pelo próximo capitulo. Além de tudo isso, é também sobre a vida e os momentos que vivenciamos que não apenas nos fazem abraçar coisas novas e crescer, mas seguir em frente e deixar de lado coisas diferentes que vivenciamos para que possamos começar de novo. De certa forma, contém uma bela mensagem que vai conquistar o seu coração.

+