Acho que finalmente deu pra entender o propósito dessa temporada ter começado péssima. Não deu pra justificar o início bagunçado, apelativo e sem brilho que Apocalypse teve em seu primeiro episódio.Assim como não deu pra engolir a fotografia estranha e claustrofóbica (mesmo que talvez essa segunda tenha sido intencional). Os personagens apresentados não se tornaram nem um pouco relacionáveis com algumas poucas exceções. Além do enredo nada inovador e lotado de tramas óbvias.

Porém, como disse na review anterior, parece que a maldição de Ryan Murphy deu uma trégua, e American Horror Story dessa vez começou péssima no entanto a cada episódio vem se mostrando um cristal do pop e principalmente para os fãs da série. Então sim, com esse quarto episódio, chegamos à constatação do que já sabíamos há muito tempo, essa temporada foi feita especialmente para os fãs da série.

Só não sabíamos que isso ia ser tão divertido.

Indo finalmente aos acontecimentos de “Could It Be... Satan?”, o episódio já começou fazendo a revelação que já havíamos falado aqui antes: Mallory é uma bruxa. Além disso, ao que parece, Coco e Dinah também são – mesmo que de linhagens diferentes.

O interessante nesse momento, foi finalmente constatar que Michael Langdon, a poc satânica, odeia as bruxas de verdade e através de vários flashbacks finalmente ficamos sabendo sobre uma boa parte do passado do anticristo teen. De fato, onde no presente conhecemos o Outpost ficava uma escola para garotos, mas essa não era uma escola comum e com todo esse contexto de Coven voltando, vocês já sabem do que to falando, né?

Então a partir daí se inicia toda a trama de introdução do jovem Langdon ao mundo das trevas, sendo recrutado de uma forma bem Harry poc do mal, mostrando muitas vezes mesmo de uma forma sutil, que o garoto é mesmo satânico em seus mínimos gestos e intenções...

Acontece que os líderes do que parece o conselho da escola de magia para garotos a qual eu ainda não aprendi o nome procuram há muito, um garoto que tenha poder suficiente para derrotar a suprema, que sempre é uma mulher. E quem você acha que será o principal suspeito de ser o primeiro dessa lista?

Após a introdução da poc, fomos de fato reintroduzidos ao universo de Coven da melhor maneira possível, com o close na Miss Robichaux's Academy ainda de pé e com direito a música tema da temporada. Zoe agora é uma espécie professora que deixa Cordelia até com carinha de orgulhosa, e foi nessa mesma aula que descobrimos uma jovem Mallory já estudava na academia e curiosamente já se destacava entre as outras... Será que o reinado de Cordelia está chegando ao fim?

Com uma entrada icônica como sempre, Myrtle Snow anuncia que a academia das poc das trevas estão convidando as bruxas para uma reunião de emergência. Cordelia é questionada sobre o fato do jovem poc ser uma possível suprema, mesmo sendo homem, e é nesse momento que tivemos um dos melhores diálogos dessa semana, tão bom, que não dá pra reproduzir aqui.

A Verdadeira suprema, mais uma vez é questionada e julgada sobre o que aconteceu com Queenie e o fato dela estar desaparecida. Vemos que Cordelia realmente foi até o Cortez, mas a maldição do hotel não deixou Queenie sair.

Porém, escutando tudo ali de perto para mostrar o tamanho de seu poder e de seu deboche, a poc satan foi até o hotel, salvou Queenie e indo ainda mais fundo, salvou Madison de sua eternidade em seu próprio inferno, sendo uma vendedora de roupas constantemente humilhada e jamais reconhecida como atriz.

No final do ep tivemos o esperado encontro, com Queenie e Madison retornando das trevas mais góticas impossíveis, só que ao lado de Langdon, que ao dar de cara com Cordelia, Zoe e Myrtle, fez a nossa supreme desmaiar, nos fazendo pensar se ele realmente é a próxima ou se o simples fato dele ser o filho do demônio, enfraquece Cordelia.

Could It Be... Satan? Foi um ótimo episódio e nos fez concluir que essa temporada será um primor se deixarmos de lado nosso senso crítico do que é um bom roteiro e amadurecimento de uma série que já está em seu oitavo ano. Enxergando da forma certa, Apocalypse vem crescendo desde o seu primeiro episódio, mostrando que esse realmente é um crossover que faz sentido, se continuar seguindo o que foi apresentado até agora e no mesmo ritmo, será uma ótima experiência.