Talvez você se pergunte porque estamos fazendo essa análise sobre Goods Omens depois de quase dois meses de lançamento no Prime Vídeo. Na verdade, não seguimos essa regra de tempo, esse texto é para te fazer assistir a essa série muito interessante que começa chamando atenção logo por dois atores britânicos super carismáticos e apaixonantes.

Belas Maldições, ou Goods Omens, não é só mais uma produção apocalíptica lançado por um serviço de streaming. É uma obra com humor bem dosado e pra lá de britânico, até mais, a série é protagonizada por David Tennant, que faz o demônio mais amorzinho do mundo chamado de Crowley, e Michael Sheen, que é o anjo Aziraphale, que por sua vez é bem humanizado. 

Michael Sheen e David Tennant durante a pré-estreia de Good Omens em Londres

Juntos eles são a química perfeita para tornar a série um tanto quanto boa, e quando falo boa, não quer dizer que ela não seja excelente, visto que as histórias contadas sobre dias antes do armagedom são bem cômicas e bem amarradinhas, mas tocaremos logo, logo nesse ponto. 

A produção é uma original do Prime Vídeo e têm apenas uma temporada com seis episódios. O diretor Neil Gaiman que já falou que o próximo ano só depende de Sheen e Tennant para acontecer,  porém, seu final, realmente dá um final, se é que me entende. 

Você certamente irá se apaixonar logo de cara com o figurino e os anjos, até os caídos, que esbanjam carisma e satirizam, sem machucar quem é cristão, porem, algumas cenas é preciso ter um pouco mais de mente aberta para levar tudo na santa paz.  Perguntas como porque deus vai acabar com o mundo? A humanidade é realmente tão ignorante? Qual o motivo do apocalipse e de um anticristo? Deus realmente é cruel?, coisas que talvez você até já tenha se questionado são apresentados da forma mais cômica possível.

Josie Lawrence interpreta Agnes Nutter em Good Omens

Goods Omens não quer te chocar, longe disso, ela te mostra outra perspectiva, massss, antes disso, faz um grande flashback sobre os maiores acontecimentos terra, como no Jardim do Éden, com Adão e Eva comendo a maçã proibida, a crucificação de Jesus Cristo, até as profecias de Agnes Nutter, uma moça que sabia muito do futuro e foi condenada como bruxa simplesmente por falar coisas que para pessoas normais são incompreensíveis, e por falar em compreensão: a forma como a série critica a humanidade te fará aceitar e ver que somos ignorantes quanto seres com racionalidade.

Crowley, é um demônio que têm como seu melhor amigo Aziraphale, poderia está tudo bem se eles não fossem o oposto um do outro, obedecendo ordens dos seus respectivos chefes, Deus e o Demônio, e trabalhando como se ambos os lados fossem uma grande empresa que espera sua cartada final, ou a grande batalha final do apocalipse, que talvez até seja, viu! Enquanto um quer seguir os desígnios do todo poderoso, o outro não tá nem aí pra nada e prega o que o seu papai anjo caído diz, como: faça o mal sem olhar a quem. É uma grande história também sobre amizades opostas que certamente você irá se identificar. 

Ah, e porque não falar que antes de virar uma série, Goods Omens foi primeiro um livro de muito sucesso escrito em 1990 por Livro por Neil Gaiman e Terry Pratchett, e a adaptação bebe dessa água muito bem. As referências são bem trabalhadas e o lado irreverente dos principais personagens são tratados de forma séria, o que mostra de fato a dedicação do elenco para tornar tudo sutil e bem redondinho.

Talvez algumas partes sejam idiotas para pessoas que gostam de roteiros mais complexos, como eu inclusive, mas essas cenas tornam a narrativa leve e legal de se acompanhar.

Outro ponto que é válido falar é a retratação dos personagens do apocalipse, como demônios 'famosos', cavaleiros do apocalipse, e o próprio anticristo que deveras são interessantes e te prendem a narrativa. 

Não é cansativo em nenhum momento e a pegada retrô com atualidade casam muito bem. As frases marcantes são ótimas, e por sinal, as pérolas soltadas por Crowley durante seus diálogos com Aziraphale são bem interessantes. 

"Eu só fazia perguntas, era só o que precisava pra ser um demônio antigamente!" 

Claro que nem tudo são flores e talvez te incomode um pouco os dois últimos episódios que são bem corridos, e poderia ter se aprofundado um pouco mais em outros personagens, talvez um ou dois episódios resolvesse o problema, outra que o CGI é bem deplorável, no entanto, o foco em Aziraphale e Crowley até te faz esquecer um pouco esses pontos. 

Por fim, Goods Omens é uma boa produção para quem gosta de um roteiro mais simples e divertido, porém, sem perder seus pontos críticos e de reflexão. A série está disponível no catálogo do Prime Vídeo.