Em janeiro de 2001 chegava aos cinemas brasileiros o filme Corpo Fechado, dirigido por M. Night Shyamalan. A gente ainda não sabia, mas aquele filme era o início da construção de um universo de super-heróis que teria uma sequência apenas em 2016 com Fragmentado. No ano que vem o terceiro filme desse universo chegará aos cinemas com Glass (Vidro) e nesta sexta-feira durante a Comic-Con de San Diego vamos ser agraciados com o primeiro trailer do longa. Mas para entender o filme e esse universo, é preciso estar atento aos filmes anteriores, e claro, isso significa ter assistido aos filmes anteriores, mas aqui, vamos relembrar um pouquinho deles com uma matéria super especial sobre a trilogia de Shyamalan.

Corpo Fechado:

David Dunn (Bruce Willis) está voltando para Filadélfia de trem e um terrível acidente acontece. Inexplicavelmente, ele é o único sobrevivente em um descarrilamento que vitimou 125 pessoas. Se já não bastasse isso, Dunn não possui nenhum arranhão no corpo. Ainda tentando entender como escapou ileso, ele é procurado por Elijah Price (Samuel L. Jackson), um colecionador de histórias em quadrinhos que acredita que David possa estar fadado a uma missão nobre: salvar os fracos do mal. Sim, é um filme de herói. Logo de início nos é explicado que Price sofre de uma doença rara, fazendo com que seus ossos sejam tão frágeis que uma simples batida pode esfacelá-los. Como não pode brincar como uma criança normal, Elijah cresce cercado de gibis e histórias sobre heróis. Já adulto, começa a procurar quem seria o seu oposto, alguém que fosse inquebrável. E acredita que David seja a resposta para a sua procura.

Shyamalan se provou mestre em tratar da exclusão que um habilidade ou uma condição pode trazer ao ser humano. Assim como o garoto Cole Sear em O sexto Sentido que não conseguia se relacionar com as outras crianças pelo fato de ser assombrado por fantasmas, Elijah crescer cercado pelos seus gibis. Era a única forma de se inserir no mundo, uma vez que não vez podia se divertir como uma criança normal.

Dunn reflete a inquietação de sua mente que é evidenciada com uma fala de Elijah: "Não há nada mais assustador do que não saber seu lugar no mundo". Um dos pontos mais fortes do filme é o personagem de Sam. L Jackson, que é trabalhado por Shyamalan como um vilão diferenciado. Ele é apenas um cara com uma doença grave que se veste de roxo, tem um cabelo singular e é extremamente sério no que diz respeitos às suas convicções e certezas. Com isso, ele é um dos personagens mais interessantes que o diretor já criou. 

Fragmentado: 

O filme tem início em uma comemoração de aniversário de uma garota. Enquanto ela e suas amigas se divertem, uma delas, Casey Cooke (Anya Taylor-Joy) se demonstra à parte de todos, permanecendo em silêncio, sendo a excluída do grupo. Na hora de ir embora, o pai da aniversariante oferece uma carona para a menina, junto de outra amiga. Mal sabiam, contudo que o pai seria desacordado por um homem desconhecido que sequestraria as três garotas. Mantidas em cativeiro, elas precisam arranjar uma forma de escapar, enquanto descobrimos mais sobre Kevin (James McAvoy), seu sequestrador, que conta com vinte e três personalidades distintas vivendo em seu corpo, com uma, referida apenas como a Besta, estando prestes a se libertar.

Como um retorno às origens, o filme traz toda a assinatura de Shyamalan através de um terror marcado pelo incerto e instável. Ele sabe gerenciar as expectativas do espectador magistralmente, similar ao que fez em O sexto Sentido e também Corpo Fechado. A forma como brinca com o sobrenatural cria um jogo de suspense conosco, que ficamos questionando se estamos falando de um tal besta realista ou fantasiosa, e esse é o chame de Fragmentado, que traz mais uma peça do quebra-cabeça que começou com David Dunn.

James McAvoy, que conta com a árdua tarefa de representar esses diversos personagens, nos entrega seu melhor trabalho em anos, demonstrando controle absoluto desse antagonista de tantas facetas. Apesar de seu figurino se alterar para refletir a personalidade que se sobressai no momento, conseguimos identificar qual delas está presente unicamente pelas expressões faciais e voz do ator, que se torna uma figura verdadeiramente assustadora, sem exagerar. Essa moderação na construção de cada uma das personas de Kevin é essencial para que a figura da Besta se sobressaia e, nesse ponto, Shyamalan não tem medo de explorar a vertente sobrenatural da obra, enquanto McAvoy chega a parecer como se fosse outro ator totalmente distinto, nos fornecendo uma representação verdadeiramente apavorante.

Glass (Vidro):

Após a conclusão de Fragmentado (2017), Kevin Crumb (James McAvoy), o homem com 23 personalidades diferentes, passa a ser perseguido por David Dunn (Bruce Willis), o herói de Corpo Fechado (2000). O jogo de gato e rato entre o homem inquebrável e a Besta é influenciado pela presença de Elijah Price (Samuel L. Jackson), que manipula os encontros entre eles e mantém segredos sobre os dois. 

Ainda não sabemos nada sobre o terceiro filme dessa franquia, mas uma coisa é certa: Vai ser espetacular ver esses 3 personagens incríveis juntos em um único filme. O primeiro trailer - como já dissemos - sairá na sexta-feira (20) durante a San Diego Comic-Con e então finalmente poderemos ter um vislumbre do que vem por aí. 

Esse universo é tão pensado por Shyamalan que até os pôsteres de Corpo Fechado e Fragmentado se completam. Confira.

Mas cá entre nós, nem é preciso saber nada de Glass para querer assistir. O filme tem previsão de estreia para 17 de janeiro de 2019. E aí, bora rever Corpo Fechado e Fragmentado?