O novo filme do Esquadrão Suicida, dirigido por James Gunn, teve suas críticas divulgadas por aqueles que já conseguiram ter acesso a ele. E elas colocaram um grande sorriso no rosto da Warner Bros. ao contrário do primeiro filme que foi lançado em 2016 que não atingiu totalmente as expectativas do estúdio.

Diante das muitas críticas relacionadas ao filme, vamos entender o que aconteceu para que Esquadrão Suicida 2016 se torna-se um “fracasso”.

  • Trailer na Comic Con 2015

A Comic Con de 2015 trouxe para um de seus painéis um magnífico trailer do filme Esquadrão Suicida que seria lançado no ano seguinte. O trailer você pode conferir abaixo:

Nele é mostrado algumas cenas inéditas do filme, principalmente da protagonista Arlequina de Margot Robbie. O tom do filme é bastante escuro e sombrio, a trilha sonora também é utilizada para reforçar esse clima. Ao fundo temos a narração de Amandar waller (Viola Davis) trazendo a tona a premissa do Esquadrão Suicida.

Nós vemos também várias cenas de ação colocadas em um contexto diferente, com uma trilha sonora diferente, mas tudo contribui para o clima sombrio e mais sério que o DCEU estava se propondo. E para finalizar o trailer, uma imagem inédita de uma das cenas do Coringa de Jared Leto, que na época ainda era um grande mistério de como seria sua interpretação do personagem, deixou os fãs ainda mais animados com o lançamento.

Mas, o que deu errado?

A falsa ilusão de que o filme seria aquilo que se propunha no trailer lançado com exclusividade no evento.

  • Primeiro trailer do filme

Em janeiro de 2016 foi lançado pela Warner Bros. o primeiro trailer oficial de Esquadrão Suicida impressionando a todos. Este primeiro trailer trazia uma visão totalmente mais divertida e colorida do que foi mostrado na Comic Con de 2015.

Dando um grande destaque para Bohemian Rhapsody (Queen), que abrilhantou o trailer completamente. As cenas foram escolhidas a dedo e colocadas para sincronizar com a batida da música.

Isso fez com que muitos fãs se questionassem se o filme que eles viram no trailer da Comic Con seria o mesmo que os próximos trailers trariam, ou quiçá, o mesmo lançado nos cinemas.

Nota-se também que, a maioria das cenas escolhidas para a composição deste trailer não estão no corte final do filme. Ou seja, tudo não passa de uma grande colcha de retalhos de cenas que foram deletadas mas que trariam algo divertido no telespectador. O trailer não é ruim, mas mudava completamente o estilo de tudo que havia sido divulgado anteriormente. Não quer dizer que isso tenha sido o principal fator para o fracasso.

  • Deadpool

Neste mesmo ano seria lançado pela Fox um filme que traria muita dor de cabeça para a Warner, Deadpool. O filme continha muita violência explícita, diversão, um ator completamente carismático e, por fim, classificação indicativa para maiores. Todo esse combo era algo que o estúdio estava fazendo com o marketing de Esquadrão Suicida. Deadpool foi um sucesso de bilheteria mundial e isso atraiu os olhos dos produtores para tentar prestar atenção na fórmula que estava dando certo.

Possivelmente, essa tenha sido uma das razões para que o filme tenha tido muitas refilmagens e cenas deletadas do corte final. Além disso, Deadpool pode ter influenciado para que o primeiro trailer do filme fosse algo explosivo, colorido e trazido uma trilha sonora marcante.

  • Refilmagens

James Gunn revelou em suas redes sociais que Esquadrão Suicida não teve refilmagens após a conclusão das filmagens oficias, mas isso não aconteceu com o seu antecessor. Ainda em 2015, Esquadrão Suicida já havia finalizado completamente as suas gravações. O que aconteceu foi que em 2016 filmagens adicionais, assim como, refilmagens, aconteceram.

Muitas as cenas que foram acrescentadas retiraram o lugar do Coringa de Jared Leto que teve sua participação reduzida a pequenas cenas ao longo do filme. Algo que foi totalmente mal administrado pela empresa que vendia o filme como uma produção de destaque para o maior vilão de todos os tempos.

Alguns sites relatavam na época que essas refilmagens serviriam para deixar o filme mais engraçado e divertido. Segundo fontes, o primeiro trailer não passava o clima total do filme mas como ouve uma “boa recepção” valia a pena adaptá-lo para algo mais descontraído.

  • MONTAGEM

O que mais deixou o filme desconexo foi a sua terrível montagem. O filme aos passos que dá parece uma colcha de retalhos de pequenos curtas que juntos totalizam em um filme. No primeiro ato já vemos que algo estava mal trabalhado pois vemos repetições de informações desnecessárias e cortes totalmente bruscos e amadores. Sem falar que todo aquele colorido por cima das cenas sombrias, destacam bem, mas não acompanham a proposta.

Realmente o filme não segue uma história, mas sim várias histórias paralelas que não se interligam e não fazem sentido algum. A intercalação de cenas da origem da Arlequina, com outras cenas do Coringa, não acrescentam em nada para a trama do filme.  

Sem falar que a trilha sonora, apesar de ser muito bem escolhida, foi mal acrescentada as cenas. A tentativa é refazer as cenas que foram colocadas no primeiro trailer. A má distribuição do tempo de tela em um filme com muitos personagens foi algo que levou o Esquadrão a derrota.

Muitos fatores, se pararmos para analisar, influenciaram para que Esquadrão Suicida não fosse tão bem como esperado. Sua bilheteria não desagradou tanto pois chegou a 746 milhões de dólares em todo o mundo ultrapassando o filme com a maior equipe de super heróis da DC, Liga da Justiça.

O diretor do longa, David Ayer, já veio a público através de suas redes sociais para mostrar sua indignação com o resultado final do filme e dizer que existe uma versão, da mesma forma que a Snyder Cut, de um filme que o público não viu.