Quando A Bruxa de Blair foi lançado em 1999, com pouco mais de 20 anos , tornou-se um grande fenômeno, gerou inúmeras paródias e inspirou muitos outros filmes que vieram a seguir como a franquia Atividade Paranormal. Aparentemente, também teve um grande impacto em Stephen King.

Stephen King é conhecido por ser o mestre do terror. Ele escreveu inúmeros romances de Terror, muitos deles foram adaptados para filmes de terror como IT: a coisa, O iluminado, O Nevoeiro e outros. Basicamente, ele sabe uma ou duas coisas sobre o gênero.

Em uma entrevista, Stephen King falou sobre o porque o filme A bruxa de Blair o impactou tanto.

"Uma coisa sobre a Bruxa de Blair: a maldita coisa parece real. É, por causa disso, como se fosse o pior pesadelo que você já teve, aquele que você acordou ofegando e chorando de alívio porque pensou que tinha sido enterrado vivo e descobriu que o gato pulou em sua cama e foi dormir em seu peito".

Umas das estratégias que o filme Found Footage usou para trazer o terror é começar como um documentário normal. Na época, a estratégia era nova e fazia o público sentir como se o que estivesse assistindo fosse real. O método de filmagem encontrada fez com que o filme ficasse ainda mais amador fornecendo uma autenticidade. 

Bruxa de Blair também fez uma abordagem gradual do terror, aumentando a intensidade e as cenas tensas. Leva um tempo mas tudo fica dependendo da imaginação do público e o que estaria por vir. Stephen também falou mais sobre o filme:

"A Bruxa de Blair, me parece, é sobre loucura. Porque o que é isso, realmente, a não ser se perder na floresta que existe até dentro das cabeças mais sãs? A filmagem torna-se cada vez mais irregular, os cortes mais estranhos, as conversas cada vez mais desconectadas da realidade. Conforme o filme se aproxima do final de seu curto curso, o vídeo realmente desaparece por longos períodos, assim como a racionalidade desaparece da mente de um homem ou mulher perdendo o controle no mundo real".

King fala corretamente dos pontos que faz o filme ser incrível. O começo de forma saudável e inocente até chegar no ápice da insanidade. Deixando o telespectador imerso na história junto com os personagens na floresta escura. O final do filme também é bem construído e além disso ambíguo. Com isso se criam várias teorias para os telespectadores que não sabem o que aconteceu após a câmera ser desligada.

Seguindo essa noite de Halloween e unindo-se a opinião de Stephen King sobre o filme A Bruxa de Blair e Found Footage o podcast Framboesta TV Cast fez um episódio especial de Halloween sobre o tema.

Confira o episódio clicando aqui.