Oficina G3 é uma banda brasileira de Rock e Metal, com o cristianismo sendo o seu tema principal. Foi fundada na cidade de São Paulo e era inicialmente formada por Juninho Afram (Guitarra), Luciano Manga (Vocal), Walter Lopes (Bateria), Túlio Regis (Vocal) e Wagner García (Baixo). Por não ter um nome ainda na época, o grupo usava a sigla "G3" (abreviatura de Grupo 3), pelo fato de serem o terceiro grupo de louvor da Igreja Cristo Salva. Mais tarde, acrescentaram "Oficina" no nome por soar bastante chamativo e entender que evangelho conserta o ser humano.

Posteriormente, a banda assinou com a extinta gravadora Gospel Records e em 1990 lançou o seu álbum de estreia, intitulado Ao Vivo. O LP foi gravado em uma apresentação na casa de eventos Dama Shock e é composto por 9 faixas. A música Naves Imperiais, composição de Túlio, foi apresentada neste disco e regravada em projetos futuros. Ao Vivo é o único registro da passagem de Túlio Regis, que saiu por problemas pessoais. 

Apesar de terem ganhando repertório no Brasil com o álbum Nada é Tão Novo, Nada é Tão Velho, foi no lançamento de Indiferença, em 1996, que a primeira fase do grupo conseguiu fazer um enorme sucesso no país. As canções possuem um estilo mais Hard Rock. Os maiores destaques ficam para as músicas Glória e Espelhos Mágicos. Indiferença é considerado pelos fãs como um dos melhores trabalhos da Oficina G3. Foi elegido pelo portal Super Gospel o 10º melhor álbum da década de 1990. O CD também teve a entrada de Jean Carlos como tecladista.

Curiosamente, em 1994 Nada é Tão Novo, Nada é Tão Velho teve um relançamento em CD, que contava com a adição de 4 faixas. Foi nesse novo formato que Duca Tambasco entrou como baixista oficial. Wagner García já havia deixado o posto após o lançamento do disco em 1993.  

Oficina G3 foi um dos responsáveis por introduzir e popularizar o gênero rock no cenário cristão brasileiro. Enquanto faziam sucesso no Brasil, a banda era constantemente atacada por líderes religiosos, que consideravam suas músicas satânicas. Os membros utilizavam cabelos compridos, tatuagens e brincos. Esse tipo de visual ainda tinha fortes resistências das igrejas cristãs. Demorou muito para o grupo acabar com esse preconceito. 

Por conta de seus compromissos como pastor, Luciano Manga deixou o cargo de vocalista em 1997. PG, que fazia parte da mesma igreja dos músicos, foi o escolhido para assumir o papel no vocal.

Christian Rock Blessing: Oficina G3

Com a entrada de um novo vocalista, em 1998 foi lançado Acústico. O projeto reúne 10 novas versões de músicas já conhecidas e 2 inéditas. Autor da Vida, uma das inéditas, foi composição do próprio PG. O sucesso de Acústico fez com que o álbum recebesse uma gravação ao vivo. O DVD foi lançado em 1999 e realizado em São Paulo, na casa de shows Olympia. Esses dois projetos foram os últimos da banda em parceria com a Gospel Records, que mais tarde assinaram com a MK Music.

O primeiro trabalho do grupo com a gravadora foi O Tempo. A obra trazia 12 canções novas com a sonoridade pop rock e foi um novo sucesso comercial, tendo vendido 170 mil cópias. A Oficina G3 ganhava nova notoriedade, dessa vez nas mídias seculares. Foram gravados clipes das músicas O Tempo e Sempre Mais, ambos exibidos no extinto canal MTV Brasil. Em 2001, os músicos foram convidados para participar da terceira edição do Rock in Rio. Com exceção de Os Nazaritos, Oficina G3 foi a única banda cristã convidada para o evento. Assim como o seu antecessor, O Tempo ganhou um DVD ao vivo, gravado na casa de show Olimpo, na Zona norte do Rio de Janeiro.   

Durante a pré-produção de Humanos, de 2002, Walter Lopes saiu do grupo, alegando divergências criativas. Então, PG indicou seu irmão Johnny Mazza para entrar no lugar de Walter, mas Lufe acabou assumindo seu lugar. 

Humanos tinha como sonoridade o new metal, vertente do metal bastante popular na época. Embora tenha vendido mais de cem mil cópias e recebido o disco de ouro pela ABPD, o CD foi bastante criticado pela mídia especializada. Muitos o definiram como confuso, sempre transitando em vários ritmos musicais. Apesar das críticas negativas, o álbum trouxe novos hits para a banda, como Te Escolhi e Até Quando?

Em 2003, PG decidiu sair para se dedicar à carreira solo. Mesmo com a saída do vocalista principal e dificuldades para encontrar um novo , os integrantes remanescentes continuaram produzindo um novo projeto.

Além do que os Olhos Podem Ver chegou em fevereiro de 2005 e marcou uma nova fase na banda, sendo apenas formada por Juninho Afram, Duca Tambasco e Jean Carlos. Lufe retornou como baterista, mas era músico convidado. O CD também contém as participações do guitarrista base Déio Tambasco, irmão de Duca, e do cantor Marcão. Outra novidade é Juninho como vocalista principal. O álbum tem os arranjos focados no metal progressivo e é uma crítica á hipocrisia religiosa. Músicas, como Réu ou Juiz e Sem Trégua, continuam bastante atuais e retratada alguns acontecimentos que o mundo tem passado.

Além do que os Olhos Podem Ver vendeu mais de vinte mil cópias no Brasil em poucos dias de seu lançamento, ganhando um certificado de ouro pela ABPD. É responsável por ter sido o primeiro disco da banda a concorrer ao Grammy Latino, na categoria de "Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa". No Troféu Talento, recebeu três indicações e ganhou nas categorias "Melhor Banda" e "Melhor Álbum de Rock".

Em 2015, o CD ficou na 97ª posição na lista dos 100 maiores álbuns da música cristã brasileira, compilada por músicos, historiadores e jornalistas especializados. Em 2016, o disco foi eleito o 14º melhor disco da década de 2000. 

Em comemoração aos 20 anos de carreira, o trio produziu Elektracustika. O projeto conta com 15 faixas, sendo 9 regravações e 6 inéditas. A proposta era criar uma sonoridade rica e criativa, explorando o formato acústico e oscilações entre o vigor dos instrumentos elétricos. Alguns fãs ficaram decepcionados por não conter os arranjos pesados e solos de guitarra, mas recebeu boas avaliações.

Foram mais de 40 mil cópias vendidas, uma indicação ao Grammy Latino e uma pequena turnê nos Estados Unidos.

Em 2008 era lançado Depois da Guerra. Muitos consideram esse o melhor trabalho da Oficina G3 até hoje, tendo agradado fãs do gênero no meio cristão e secular. O disco tem fortes arranjos do metal progressivo e metalcore, além de ter sido produzido por Marcello Pompeu e Heros Trench, integrantes da banda Korzus

Mauro Henrique foi contratado como vocalista principal durante a pré-produção. Foi bastante elogiado por trazer uma nova sonoridade e ajudar mais ainda o álbum alcançar o extremo rock'n roll. Mauro teve participação na composição de Incondicional, que ganhou um clipe divulgado no canal oficial do YouTube da MK Music, alcançando milhares de visualizações. Alexandre Aposan e Celso Machado retornaram como baterista e guitarrista base respectivamente. Os dois já haviam trabalhado em Elektracustika como músicos convidados. 

A ótima produção e recepção fez com que Depois da Guerra ganhasse o Grammy na categoria "Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa". Ao todo, é composto por 15 faixas, sendo uma introdução e três cantadas em inglês. 

Um DVD foi gravado ao vivo e chegou em setembro de 2010, intitulado D.D.G. Experience. Esse projeto foi realizado na usina desativada da cidade de Santa Bárbara do Oeste e contava com a direção de Hugo Pessoa. Foi recebido com críticas favoráveis. Muitos especialistas destacaram o bom cenário, iluminações e produção, que trazia uma grande atmosfera de rock'n roll. Em 2019, D.D.G. Experience foi eleito pelo Super Gospel o 2º melhor DVD da década de 2010.

OFICINA G3 – Universo Gospel – BLOG

Por conta de problemas pessoais envolvendo alguns integrantes da banda, Histórias e Bicicletas só foi chegar em 2013. Gravado no RAK Studios, em Londres, a obra teve auxilio do cantor Leonardo Gonçalves e maior participação de Mauro Henrique nas letras, trazendo canções mais reflexivas e profundas. Alexandre já havia se tornado membro oficial do grupo.

O RAK Studios fica localizado em Regents Park, no centro de Londres. Ao longo de 3 décadas, a gravadora formou parcerias com artistas consagrados, como Paul McCartney. Uma versão audiovisual do álbum, Histórias e Bicicletas - O Filme, mostra mais detalhes da gravação, depoimentos dos cantores e a participação de Leonardo nos vocais de Lágrimas

O CD foi dedicado à ex-esposa de Mauro, Jaky Dantas, que morreu de câncer meses antes. O disco foi gerado após várias histórias positivas e negativas que o grupo tinha vivido ao longo dos últimos anos. Das 11 músicas, uma é a regravação de Aos Pés da Cruz, do cantor Kleber Lucas. Clipes de Água Viva e Confiar foram divulgados no canal oficial da MK Music. A sonoridade manteve as tendências progressivas, também buscando influências no metal alternativo. 

Histórias e Bicicletas não supera o seu antecessor, mas não deixa de ser um belo trabalho. Foram mais de 40 mil cópias vendidas no Brasil e três indicações no Troféu Promessas, tendo vencido na categoria de "Melhor CD de Rock".

Em 2014, fomos apresentados ao projeto "G3 na Igreja". O grupo fez várias apresentações especiais em templos religiosos. Alexandre Aposan saiu em julho do mesmo ano, alegando que seu contrato com a banda o impedia de trabalhar com outros artistas. Mauro Henrique criou e começou a se apresentar na turnê "Loop Session + Friends", ao lado de Leonardo Gonçalves e o vocalista da banda católica Rosa de Saron, Guilherme de Sá. A turnê teve início em 2015. 

Outro fim de parceria foi com a MK Music, depois de 17 anos de relacionamento.

As 10 Músicas mais Tocadas de Oficina G3 | Somos de Cristo

Os próximos singles da Oficina G3 foram lançamentos independentes. O clipe de Tudo é Vaidade foi gravado durante shows nas cidades de Curitiba e Maringá. João teve um "lyric video" produzido por Nilton Fernandes e foi liberado com exclusividade no Deezer e, mais tarde, nas demais plataformas digitais de música. Em fevereiro de 2017, o grupo disponibilizou a música Retrato. No mesmo ano, fizeram uma regravação de O Caminho, outra parceria exclusiva com o Deezer.  

2017 também foi o ano em que o quarteto comunicou oficialmente um hiato, apesar de terem feito um show beneficente para ajudar o ex-vocalista Túlio Regis, diagnosticado com câncer em 2018. 

Em 2020 foi anunciado, no canal do YouTube, que Mauro Henrique não seria mais o vocalista da Oficina G3. Segundo Juninho Afram, ambas as partes entraram em um acordo saudável, tomando a decisão de cada um trilhar seu caminho. Cego marca o último trabalho de Mauro com o grupo.

Ainda em 2020, os membros gravaram 7 músicas da época de Acústico, O Tempo e Humanos. Os vídeos contaram com a participação especial de PG, Walter Lopes e o guitarrista convidado Matheus Asato. Ambos foram divulgados no YouTube.

Abaixo você pode conferir o single Cego, o último trabalho da Oficina G3 lançado até o momento. A canção foi baseada em Apocalipse 3:17-18.

Nesses mais de 30 anos de história, a banda passou por preconceitos e saídas de membros importantes, mas se manteve firme e continuou fazendo seu trabalho, explorando vários gêneros musicais. É inegável o grande talento de todos os seus integrantes. Com toda certeza, Juninho Afram é um dos melhores guitarristas do Brasil. 

Minha recomendação é para que escutem Indiferença, O Tempo, Além do que os Olhos Podem Ver, Depois da Guerra e Histórias e Bicicletas. Esses são os álbuns que resume melhor cada fase da Oficina G3. Acústico e Elektracustika serve para os que gostam de um som mais calmo e agradável.