Não é espanto que o seriado Um Maluco no Pedaço (1990-1996), foi sucesso de publico e critica, a comédia com Will Smith chega a ser considerada um referência no mundo das sitcoms, conquistando fãs em todo o mundo.

E foi a partir da ideia de um fã chamado Morgan Cooper, que produziu a versão dramatizada da comédia, ambientada em 2019 e postado no YouTube, gerando 7,3 milhões de visualizações, uma delas a de Smith que gostou tanto do que viu, que se inspirou no trailer para desenvolver o reboot. Obviamente, a trama se passará nos dias atuais. Batizada de Bel-Air,  nova versão chega fazer história na TV americana.

A série estreia no próximo domingo (13) apostando alto em um modelo de reboot incomum, que é reinventar uma trama cômica e transformá-la em narrativa mais realista, mantendo os elementos, mas o alicerce sendo diferente. 

Jabari Banks como Will (à esq.) com Jordan L. Jones como Jazz

Como Bel-Air está fazendo história?

Em Hollywood não existe nenhuma novidade com relação aos reboots, inclusive na ultima década, parece ser a solução mais fácil e obvia dos grandes estúdios utilizarem. Atualmente se trabalha com três formulas, muito comuns de serem vistas:

  • Modernizar a trama antiga:

Nessa opção costuma-se trazer historias de alguns anos anteriores e fazer um nova roupagem. Com linguagem mais modernas , atualizando para o tempo atual. Podemos ter alguns exemplos: o filme Ghostbusters: Afterlife (2021), o seriado One Day At a Time (2017 - 2020), ou o filme Bill & Ted Face the Music (2020).

  • Trocar o gênero do(a) protagonista original:

Essa opção tem sido bastante utilizada nos dias atuais. Muito se deve a cobrança sobre a mudança de Hollywood e a inserção de mais representação feminina nas telonas, podemos destacar os exemplos dos: filmes Ocean's 8 (2018) e American Pie Presents: Girls' Rules (2020) e da série How I Met Your Father (2022).

  • Inverter a razão/motivação daquela produção:

Geralmente essa produção se passa fácil por um novo filme, visto que o alicerce da trama ainda existe, porém é tão bem escondido que geralmente não prestamos atenção. Com as novas motivações o herói (normalmente atualizando elas), temos basicamente uma nova trama. Podemos como tirar como exemplos: Os filmes Mad Max: Estrada da Fúria (2015), Mortal Combat (2020) e a serie Dinastia (2017 - atualmente).

Vale pontuar que essas as obras podem seguir os três passos!

No caso de Bel-Air a serie não seguirá nenhum do três passos, apesar de ter sido cogitado essas alterações como,  Will fazendo o caminho inverso onde, deixaria o bairro nobre de Los Angeles para morar na periferia da Filadélfia (Modernizar a trama antiga). Também foi colocado na mesa a ideia de reviver a série com uma protagonista feminina (Trocar o gênero do(a) protagonista original).

A solução porém foi apostar da dramatização da trama, originalmente, apesar de ter elementos de drama, Fresh Prince of Bel-Air, é uma serie cômica de uma jovem saindo de uma realidade violenta e lidando com o luxo de uma vida diferente na casa dos tios ricos. Tecnicamente a historia se mantem a mesma, mas dessa vez o filtro da realidade dura encobrirá as aventuras de Will Smith, dessa vez vivido por Jabari Banks.

Já foi confirmado que a historia tocará em temas sensíveis com: violência, drogas, briga de gangues, racismo e até assassinato.

Imagem
Olly Sholotan como Carlton Banks e Jabari Banks no papel de Will

Problemas e riscos

Morgan Cooper é creditado como cocriador de Bel-Air, ao lado de Will Smith (Ator), mas as coisas não foram fáceis, a dupla enfrentou problemas graves justamente no mais essencial de uma atração. Se estava certo que seria Maluco no Pedaço dramático, faltava definir o modo de operação. 

Durante o processo criativo, dois showrunners foram demitidos por divergências criativas. Vale lembrar que esse cargo é fundamental para toda a série, pois é o profissional encarregado de supervisionar e direcionar o roteiro, direção, produção entre outras coisas. 

Chris Collins, premiado por The Wire (2002-2008) e produtor de Sons of Anarchy (2008-2014), foi o primeiro a sair, em dezembro de 2020. Quem acabou substituindo foi Dianne Houston, única mulher negra indicada ao Oscar de direção, com passagem vitoriosa por Empire (2015-2020); ela também acabou deixando o cargo em Bel-Air.

Então, uma dupla assumiu a responsabilidade, na terceira tentativa de acertar na escolha de showrunner:, foi T.J. Brady e Rasheed Newson. O detalhe é que nenhum dois dois produtores executivos exerceram funções de showrunner em toda a carreira antes.

A expectativa é grande para ver como ficou o produto final, principalmente após nos bastidores. Se der errado, não faltam motivos para determinar as causas do fracasso; e ninguém vai copiar essa fórmula. Contudo, caso vire sucesso, Bel-Air pode abrir as portas para esse novo tipo de reboot. Séries dramáticas do passado podem virar comédia hoje, ou uma comédia virar drama.

A operação foi muito arriscada devemos admitir, ainda mais se tratando de série altamente popular e parte da memória afetiva de muita gente.

O primeiro episódio de ‘Bel-Air’ vai ao ar em 13 de fevereiro de 2022, no serviço de streaming Peacock.