A terceira temporada de Riverdale está apostando em um tom sombrio e sobrenatural. A série nunca foi do tipo muito boa, mas arrasta fãs fiéis por onde for, o que de alguma forma é louvável e prova que algo certo está sendo feito.

Logo, temos um roteiro que traz criaturas mitológicas, jogos mágicos e pessoas alucinadas por toda cidade. Cansa um pouco nos vilões forçados (Oi Hiram!), mas ainda assim traz plots bem amarradinhos, por mais que não conquiste a todos.

Cuidado, a partir daqui contém spoilers!

Até o momento o jogo ainda está sendo desenvolvido e sendo mais descoberto pelos jovens da cidade. E todos são envolvidos neles desde os adolescentes até os adultos. O Hiram está por trás do jogo, de uma forma ou outra e até o convento das irmãs loucas está metido.

O último episódio levantou a hipótese dessa história toda de Rei Gárgula não passar de lenda urbana, o que convenhamos, seria uma explicação bem mais razoável juntamente com o fato de que muitos o enxergam quando estão chapados. Uma boa história para fazer medo a garotinhas e só.

Mas aí entra o jogo. Tudo bem que o jogo foi criado para amedrontar e pode ser somente para fazer com que as pessoas se interessem e tenham medo do Rei Gárgula, mas pode ter outros caminhos a serem seguidos além da história de manter o controle. Meu palpite (ou intenção de que seja assim para melhorar a trama) era ter um personagem que a gente não desconfiava tipo a Alice Cooper, por trás da criação e propagação do jogo, fingindo ser vítima para ver até onde vai a loucura das pessoas. Não é atoa que ela entrou pra fazenda né? Até eles podem ter algo a ver.

Acho que é fato que os roteiristas vão brincar com o pessoal da fazenda os ligando ao jogo. Aquela mini bruxa ruiva lá também deve ser mais trabalhada depois desse hiato. Agora nós vamos ter que lidar com as consequências da libertação das crianças do orfanato e em como Archie vai ser caçado por mais uns 12 episódios protagonizando mais uma narrativa chata.

A quarentena é talvez a parte mais empolgante desse retorno, pois Hiram poderá finalmente sair das sombras e mostrar seu veneno para todos e dessa vez com apoio político e sem ninguém capaz de detê-lo, pois Jughead está fora da cidade. Mas não por muito tempo né? Aposto que no próximo episódio ele vai dar um jeito de voltar para Riverdale, e vai ser através de um ponto fraco de Hiram. Só será decepcionante se o único motivo das ações de Hiram for a expansão do seu império de drogas. Vai assinar embaixo o título de vilão mais insignificante das séries.

As convulsões são uma tática interessante de ligar a história à fazenda, que deve ter um papel mais importante nesse retorno. Creio que fique em foco até o final da temporada quando retornará a narrativa do Rei Gárgula e conclusão da história. Mais interessante ainda é a preocupação dos Lodge em ver que Veronica virou um efeito colateral e também foi atingida pelas convulsões, o verdadeiro ponto fraco do vilão.

Mas as certezas são a que vimos no último teaser: Verônica se aproximando de Reggie, Archie enfrentando Hiram (nenhuma novidade no parquinho), uma nova personagem que aparece em um momento de tensão com uma arma, uma nova fuga que não sabemos de quem (mas aposto no Jug, pois temos momentos entre ele e Betty) e o recomeço das práticas satanistas do convento das irmãs. Ufa! Parece que as coisas vão mesmo melhorar. 

Esses são só alguns pontos e suposições que podem fazer sentido nessa louca história de Riverdale que ainda está só começando. E lembrando que a série retorna no dia 16 de janeiro com o nono episódio intitulado “No Exit”. Até a review!