De acordo com o uma matéria do Deadline, a parceria entre a Sony Pictures e o Marvel Studios com o Homem-Aranha chegou ao fim por conta de impasses de financiamento entre os dois estúdios.

Segundo o site, a Disney queria dividir o financiamento dos próximos filmes em 50% para cada e conversando a respeito do desenvolvimento de outros filmes baseados no universo do teioso, mas a Sony não queria dividir totalmente os valores de sua maior franquia, mantendo os termos atuais em que a Disney recebe aproximadamente 5% da bilheteria desde o dia de estreia do filme, fazendo com que a negociação de um novo contrato fosse impedida.

O site afirma que há mais dois filmes em desenvolvimento com Tom Holland e o diretor Jon Watts (que dirigiu os dois primeiros filmes do herói), mas não há notícia se permanecerão como parte do MCU ou não, mas ao menos que o novo acordo seja fechado, Kevin Feige, presidente do estúdio, não liderará mais a produção criativa desses filmes, e essa saída daria liberdade de misturar a versão de Tom Holland do cabeça de teia com as outras propriedades do universo do aracnídeo, como Venom e Morbius.

Enquanto as novidades do acordo não se tornam oficiais, o novo filme do teioso (Homem-Aranha: Longe de Casa) está em exibição nos cinemas e bateu o recorde de US$ 1,109 bilhão arrecadados mundialmente.