play_arrow
Assista ao trailer: Doutor Sono - Trailer Final
videocam

Doutor Sono, sequência direta de O Iluminado (1980) de Stanley Kubrick, não está agradando os críticos. Inspirado na obra de livros do escritor Stephen King, o filme dirigido por Mike Flanagan (Jogo Perigoso) está dividindo opniões que dizem que o longa é completamente desnecessário. Confira:

Darren Franich, da Entertainment Weekly.

Doutor Sono é uma bagunça. É longo demais, tem um conflito entre uma sobriedade sombria e emoções baratas e loucas. As homenagens a O Iluminado são baratas e sem vergonha. Os sustos são mais engraçados do que assustadores. Dan é um problema. McGregor [Ewan] costumava ser um ator tão vivo, mas aqui ele está congelado

Peter Bradshaw, do The Guardian.

O Iluminado precisava de uma sequência? Bem, ganhamos uma agora, adaptada pelo diretor Mike Flanagan e baseada no livro de 2013 de Stephen King. É mais de meia hora mais longo do que o filme de Stanley Kubrick, mas parece ser mais do que isso – trabalhoso, sem direção e densamente populoso com novos personagens chatos na narrativa, que é muito dividida. Sua atenção está sempre distraída da figura central, que deveria ter sido um objeto de fascinação 

Justin Chang, do The Los Angeles Times. 

De certa forma, o filme ecoa o próprio conflito do jovem Danny, o novo filme em alguns momentos trás à mente uma criança que está entre dois pais briguentos e está tentando fazer uma reconciliação

Owen Gleiberman, da Variety.

O fato do filme funcionar já diz como é irresistível voltar para esse mundo. O fato dele funcionar é um testamento para a imaginação de Stephen King. Eu sei não se O Iluminado precisava de um segundo ato, mas Doutor Sono se apresenta como um que é fresco e desconfortável o suficiente para justificar sua existência

Doutor Sono chega aos cinemas em 8 de novembro deste ano e traz Ewan McGregor no papel principal.