Durante uma entrevista ao Entertainmene Weekly, o ator e diretor Ben Affleck comentou sobre as estratégias de lançamento dos filmes nos cinemas e streaming nos últimos anos. E durante sua entrevista, Affleck diz acreditar que o futuro do cinema estará nas mãos de "filmes evento" como os do Universo Cinematográfico Marvel.

Affleck comentou que há cada vez menos espaço para histórias sérias de drama nas telonas. E, apesar disso já estar acontecendo há um tempo, este efeito acabou sendo intensificado com o recente isolamento social.

Vou dizer que, quando O Caminho de Volta saiu, foi lançado na semana em que fecharam os cinemas [para a pandemia]. Mas mesmo antes disso, eu sabia que este filme sobre luto e uma criança morrendo e alcoolismo e recuperação não ia levar adultos para os assentos. Estamos falando de Narcos: Mexico, Succession, Mare of Easttown. Existem essas coisas incríveis sendo feitas nas plataformas de streaming.

Diante disso, Affleck constatou que os novos rumos no cinema poderiam ter levado sua carreira para um rumo completamente diferente alguns anos atrás.

Se eu tivesse que apostar, um drama coo Argo não seria feito para os cinemas hoje. Isso não faz tanto tempo. Seria uma série limitada. Acho que filmes nos cinemas vão ficar cada vez mais caros, tipo eventos. Eles vão ser mais para gente jovem, mais sobre ‘Olha, eu estou tão vidrado no Universo Marvel, mal posso esperar para ver o que vai acontecer.’ E só vão lançar 40 filmes nos cinemas, provavelmente, todos franquias, sequências ou animações.

Por último, Ben Affleck falou um pouco sobre a fraca repercussão de bilheteria de seu mais recente filme (O Último Duelo) nos cinemas, e sobre como o mesmo filme conseguiu uma grande popularidade ao chegar no streaming.

O Último Duelo realmente pegou pra mim. Eu tive filmes ruins que não funcionaram e eu nem pisquei. Eu sei porque as pessoas não foram [ver] — porque eles não eram bons. Mas eu gostei do que fizemos [em O Último Duelo]. Gostei do que tínhamos para dizer. Estou muito orgulhoso dele. Então eu estava realmente confuso. E quando eu vi que ele foi bem no streaming, pensei ‘Bem, tá aí. Aqui é onde está o público [desse tipo de filme].'

É fato que os tempos estão mudando, e a indústria do entretenimento vem sentindo esse impacto, precisando se adaptar quanto a isso. E o avanço da popularidade dos serviços de streamings nos últimos tempos mudou o modo em que nós (espectadores) consumimos histórias. Com isso, existe um aumento no surgimento de séries limitadas, e uma baixa de grandes dramas nas grandes salas de cinema, dando espaço para blockbustersreboots e sequências de grandes sagas. Mas o futuro do cinema realmente estará fadado a viver apenas disso?