play_arrow
Assista ao trailer: His Dark Materials - Trailer legendado | HBO BRASIL
videocam

Aguardadíssima série da BBC estreiou a pouco tempo mas já está fazendo seu nome. O primeiro episódio levou a emissora novamente ao topo depois de cinco anos sem bater a audiência de sete milhões de espectadores, o que mostra que a nova adaptação dos livros "His Dark Materials" agradou ao público e promete conquistar ainda mais a fidelidade dos fãs que se viram frustrados com a adaptação "A Bússula de Ouro", lançada nos cinemas em 2007, que mesmo ostentando um elenco de peso não conseguiu agradar a crítica, bilheteria fraquíssima, e por cima, acabou pela metade, deixando todo mundo órfão e sem esperanças de vir algo que preste. 

Porem, parece que a nova adaptação vai se redimir com os fãs e felizmente os co-produtores da BBC e da HBO aprenderam com esses erros e ofereceram um espetáculo de boa história e bons efeitos especiais. Claro, você que assistiu ao longa lançado há mais de 10 anos certamente irá conectar vários pontos com a série, porém, é válido destacar que a recente produção tem nuances muito mais conectadas com o livro escrito por Philip Pullman que o próprio filme.

Legenda

No Brasil, os fãs se viram admirados com a adaptação cinematográfica mesmo com todos os seus erros e falta de camadas, por esse motivo que também que a série está fazendo o maior sucesso por aqui. Você que não leu os livros de Pullman, mas assistiu ao filme deve se lembrar que o enredo se passa em um mundo alternativo, onde a alma humano se manifesta junto com um companheiro animal chamado de Dæmon, sua forma muda durante toda infância para diferentes bichos, mas se estabelecem quando ficam adultos. 

O mundo é governado pelo Magisterium, um governo teocrático que suprime o pensamento livre em todos os lugares, exceto pelas instituições escolásticas, e mesmo assim, com diretrizes rígidas que proíbem a heresia total. A narrativa segue Lyra (Dafne Kee), uma criança deixada quando bebé em Jordan College pelo seu tio Lord Asriel (James McAvoy), que é um explorador. 

Por sua vez o primeiro episódio aborda muita mitologia e uma construção bem contada de um novo mundo, e se você não tiver familiaridade com o material de origem certamente ficará confuso com muita coisa. Dafne Keen protagoniza o papel muito bem e aproxima o público com sua versão inquieta por sede de aventura na pele de Lyra, até mais, o que esperar da atriz que fez um belíssimo papel como Laura em LoganJames McAvoy, nosso Professor X, da finada franquia X-Men da Fox, é um coadjuvante que abrilhanta a narrativa. Ele está intenso e motivado, e sua busca pela verdade instiga o público para desvendar os mistério da série, que mesmo em seu primeiro episódio já se mostrou forte e nem um pouco cansativa. 

Ruth Wilson, está poderosa, cheia de mistério e já com muitas nuances no papel de sra. Coulter. Não sei se só foi eu, mas eu tive leves associações da atriz com a interpretação de Nicole Kidman, que fez este mesmo papel na adaptação cinematográfica. Os Gyptians e Gobblers certamente terão um papel importante na narrativa. Logo nos primeiro minutos nos deparamos com uma nova cultura e uma problemática que certamente irá se desdobrar entre as horas. Se você não ficou curioso, acho que assistiu errado.

His Dark Materials imediatamente começa a complicar e aplicar camadas a história que se desdobra rapidamente entre descobertas, investigação e traição. Que diferente do filme, não economiza tempo para entregar ao público o que queremos ver, que é uma boa narrativa sem enrolação. Com personagens de camadas, misteriosos e cortes entre várias histórias que espera-se que se conectem ainda nesta temporada. Este é certamente o aspecto que consagra o piloto que se mostra maduro e pronto para seguir a jornada.

Talvez a falta destes elementos em uma série faça com que muitos espectadores desistam de continuar acompanhando. Até mais, o piloto é tão importante quanto qualquer outro elemento chave de uma história. Uma boa história tem que amarrar o público com seus mistérios os convidando a esperar mais e mais da narrativa, e é isso que temos na produção da BBC. Aguardar pelos próximos capítulos é de uma sede insaciável.

A emissoras BBC e HBO claramente não pouparam despesas para dar vida ao mundo de Lyra. Um dos pontos que mais impressiona é a vida que dão aos daemons, que parecem naturais, com expressão, passando bem longe do que se imagina como computação gráfica. E tratando de uma série de TV, como sabemos, não é normal investir tanto em boas fotografias visuais. A mesma atenção devemos dar ao Jordan College, que é grandioso, bem construído, um elemento fantástico que faz a série parece um filme.

Mal consigo imaginar o poder que His Dark Materials tem para construir boas histórias. Será interessante esperar uma semana para ver novos episódios, com temas mais adultos e próximos da produção original presente no livro. Espero que continue com a mesma pegada!