E chegamos ao fim da temporada de Riverdale! Devido a pandemia de Covid 19, as gravações de vários seriados foram interrompidas, impossibilitando a conclusão de alguns episódios. Por já está em reta final, e por não saber quando voltariam a gravar, a direção de Riverdale resolveu terminar a temporada com 19 episódios, e não com a comum quantidade de 22 capítulos. Sendo assim, esse é o penúltimo episódio da temporada.

E é uma pena já que os outros três episódios previstos para esse ano iriam apimentar mais a história das fitas, que finalmente começa a engrenar. Sim, depois de abandonar um passado obscuro que tendia a brincar com o sobrenatural, Riverdale encontrou um novo mistério mais interessante, e porque não dizer relevante, e que de fato nos assusta e nos envolve mais.

Lógico, ainda temos coisas absurdas como adolescentes comandando investigações do FBI, porém as coisas ficam mais reais e tensas quando assassinatos que de fato aconteceram começam a ser reencenados. E ainda mais quando traz um adicional bizarro como o que tivemos neste episódio.

Assim, Jughead e Charles mostram a fita que vimos no último capitulo para o resto da família e descobrimos que é uma recriação da morte fake de Jughead na floresta e que os personagens usam mascaras dos dois. Logo, Jug resolve embarcar nesta mistério com Charles para descobrir quem foi o autor da fita.

Claro que o FBI vai deixar Jughead tomar conta da investigação que nos leva até Ethel Muggs, ressuscitada neste episódio para ser uma pista. Enquanto Jug não acredita no envolvimento da colega de escola em toda a loucura das fitas, Charles vai até a casa da adolescente e encontra uma fita suspeita em seu quarto, fita essa que descobrimos ser a de Jughead e Betty transando em Stonewall, aquela mesma fita gravada por Bret.

Pressionada, Ethel conta que conseguiu a fita em uma sala secreta da locadora da cidade, que reúne um acervo um tanto bizarro com sex tapes e gravações de assassinatos reais, incluindo a fita de Clifford atirando contra Jason Blosson.

Indo para a parte violenta do episódio, Veronica começa a expandir o negócio do rum para universitários, o que atrai uma concorrência perigosa. O clã dos Malloys a ameça e invade o Maple Club, destruindo boa parte da sua produção.

Ela, achando que Hiran estava por trás da “intervenção”, confronta o pai que conta que o clã é um grupo perigoso. Mas ele não leva desaforo para casa e termina indo atrás dos Malloys para um acerto de contas, que no final não dá certo e termina em uma bela surra no Lodge.

Cheryl, assustada com tudo o que aconteceu, resolve deixar a sociedade com Veronica e seguir por outro caminho. Porém a menina Lodge não quer acabar com o negócio e, ao saber que o pai teve a chance de atirar contra os Malloys mas não o fez, resolve propor uma parceria entre os dois. O que ela não sabe é que o sangue ruim dos Lodge não são assim tão controláveis e que Hiran voltou até os Malloys para terminar o serviço.

Também falando em negócios, quem resolve entrar na parada das cécegas de Kevin e Fangs é o Reggie. Ele chega todo pomposo e resolve até começar o próprio negócio unindo as Vixens e os Buldogs e pedindo para que os garotos larguem o tal Terry, que financia do site de cócegas. O que lógico não o agrada nem um pouco e sobra para o pobre Kevin uma ameaça, pedindo gentilmente por 40% dos lucros.

Eles não cedem e a história acaba chegando nos ouvidos do Mr. Honey, que ordena a retirada do site por conta dos alunos usarem roupas que remetem a escola. Todos acham que foi Terry que fez a denuncia, mas um fato mais pro fim do episódio nos leva a duvidar disso.

No lado romantiquinho do episódio, Archie e Betty continuam em suas encruzilhadas. Os dois passam muito tempo pensando um no outro e chegam a marcar encontros para desfrutar de suas companhias, o que os deixa ainda mais confusos.  A loira chega até a confessar para Cheryl seus sentimentos por Archie, que a aconselha falando sobre Jughead e romances idealizados.

Archie chega até mesmo a escrever uma música para Betty, que após a conversa com Cheryl resolve “terminar” tudo com o ruivo. Ele então resolve ir para escola naval, uma clara tentativa de se manter distante.

Assim, terminamos o episódio com uma cena interessante onde descobrimos que um dos frequentadores da sala bizarra da locadora era o Mr. Honey. Logo depois vemos Cheryl mostrando que recebeu uma fita com uma reencenação da morte de Jason, igual a fita que Jughead recebeu no episódio passado.

Será que temos um novo stalker bizarro a solta? Será que o diretor é o responsável por essas fitas? Sabemos que Riverdale não ia jogar assim uma resposta que vai movimentar toda uma temporada, mas que o Mr. Honey tem culpa no cartório isso tem. Aguardemos as emoções da season finale.