Loki finalmente está entre nós! A estreia aconteceu dia 9 de junho no Disney Plus. Um novo episódio estará disponível semanalmente. A divindade nórdica Loki é conhecida como um deus da trapaça e da mentira. Então, quando a Marvel encabeça seu próprio programa, é de se esperar uma deliciosa onda de truques e trapaças.

Inicialmente a premissa lembra um bastante o gênero britânico de ficção científica e fantasia cômica, de "Doctor Who"(BBC) e “Guia do mochileiro das Galaxias”(Douglas Adams), uma promessa de mistério e aventura simples. Também distingue "Loki" de seus antecessores do Disney+, o alto conceito "WandaVision" e os Vingadores-lite "O Falcão e o Soldado Invernal", cada um dos quais colocou temas mais pesado em seu material baseado em quadrinhos. (Trauma familiar em primeira instância, alegoria de raça e classe na segunda.)

Ver a imagem de origem

O episodio

Como a introdução nos lembra, Loki escapou para algum local durante os eventos de "Endgame", enquanto os Vingadores mexeram com o passado para alterar o futuro. O resultado disso deixou uma "variante" (um termo com outro uso distrativo agora) à solta, chamando a atenção de uma organização cuja função é policiar a linha temporal.

O problema com as parcelas de viagem no tempo é que elas tendem a funcionar melhor quanto menos você sabe sobre sobre os detalhes, Vibe “De volta para o futuro”. Graças à premissa, o público pode pensar em pouco mais, já que a fonte do drama (e considerável comédia) se fixa na ameaça que uma falha no tempo representa para a própria realidade.

Loki muito propositalmente não poderia ser pior para a ordem monocromática e burocrática da Autoridade de Variantes do Tempo (ou "TVA"), nem mais ofendido quando ele entende exatamente o que representa. Um relógio de desenho animado chipper ("Miss Minutes") o informa em um vídeo animado explicativo, o TVA é uma organização encarregada de manter cada multiverso avançando na mesma "linha do tempo sagrada" prescrita por três "Guardiões do Tempo", o que às vezes significa apagar "Variantes" como Loki que pode estragar tudo.

O pontapé principal do programa se resume, a Hiddleston, bem como suas interações com o policial Mobius (Owen Wilson), que percebe que Loki não é confiável, mas o vê como o meio para um fim.

 "Loki" parece fabuloso, criando um mundo bizarro que parece distintamente diferente dos outros quadrantes do universo Marvel. Isso começa gerar incríveis teorias sobre esse novo e complexo mundo – O Multiverso. E pelos olhos do curioso vilão muitas coisas nos são explicadas, deixando todo MCU fechadinho.

Conclusão

Mesmo com a consciência de ser apenas o primeiro episódio, a série Loki traz uma boa introdução. Especialmente, por apresentar bem o ambiente situado e alguns dos personagens. Embora pareça ser um capítulo “normal”, podemos matar saudades do deus da Trapaça. Na verdade, desse novo protagonista. A trama, funciona de tal forma que não dá para saber o que vem a seguir. E este é o melhor sentimento que o espectador poderia ter.