Poucos dias após seu lançamento, o Disney+ divulgou o segundo episódio de High School Musical: The Musical: The Series, e se o episódio anterior já tinha sido agradável e tivesse deixado dúvidas quanto a direção; esse novo capítulo conseguiu superar as expectativas ao dar mais espaço a originalidade junto a uma nostalgia colocada na medida.

O segundo capítulo conseguiu começar com uma sequência de cenas cômicas ainda melhores que as vistas no primeiro capítulo, mostrando que o potencial dos roteiristas em saber usar na medida certa cada uma das piadas junto ao elenco de jovens atores, em especial Larry Saperstein, que entrega algumas das melhores cenas cômicas com seu personagem Big Red, mas o episódio decidiu deixar a história do musical um pouco de lado para poder focar nos problemas dos protagonistas, principalmente Nini (Olivia Rodrigo), Ricky (Joshua Bassett) e E.J (Matt Cornett), num momento em que a jovem tenta esquecer dos seus sentimentos por seu ex-namorado, mas o mesmo não consegue desistir do que sente por ela, e, ao mesmo tempo, vemos o atual namorado da protagonista com medo do que pode acontecer, fazendo com que ele entre num turbilhão de paranoias por conta de seu relacionamento (uma situação bastante atual da juventude).

Vemos que por mais que seja um rosto bonito e educado, E.J. ainda é meio tapado em lidar com algumas situações amorosas, sendo criticado por tentar se cegar em seus ciúmes e virar um namorado abusivo, e de acordo com o desfecho do episódio, ficamos com uma ideia no ar de que o personagem passe a agir como um clássico vilão de novela para tentar acabar com as chances de seu rival com sua namorada. 

Mas um dos pontos altos do episódio aparece durante as cenas entre Nini e Ricky, com os dois jovens atores dando o melhor de si ao representarem seus sentimentos de frustração e esperança em tela. Rick consegue ser tão vergonhoso ao tentar impressionar Nini que nos sentimos pena do esforço em vão que ele vem fazendo, mas logo em seguida vemos que ele tentará se esforçar ao máximo para não desistir do seu objetivo; e mesmo reconhecendo os erros do rapaz e demonstrando a sua angústia, Nini ainda tem esperança de que ele vá conseguir ser bom nesse musical, mas acaba que isso gera um conflito na personagem sobre a nova pessoa que ela vinha tentando ser e nas decisões que ela tomou até aquele momento, sem saber se realmente eram as coisas certas a serem feitas.

O bonito da atuação dos dois é que é possível encontrarmos características dos icônicos Troy Bolton (Zac Efron) e Gabriella Montez (Vanessa Hudgens), não só com os diálogos, mas também quando Nini e Ricky estão contracenando, quando podemos ouvir as vozes de Troy e Gabriela ecoando no fundo da cena ao som do hino Breaking Free, aquecendo os corações dos fãs com nostalgia.

E falando em nostalgia, as referências presentes nesse episódio impressionaram bastante, e não é pelo fato de serem menções a nomes ou músicas do clássico, mas sim aos detalhes pensados para surpreender os fãs, como o icônico celular de Gabriela que a Senhora Darbus confisca no primeiro filme. Detalhes como esse são essenciais para agradar qualquer fã, merecendo o total respeito pela produção.

E assim como no capítulo anterior, nós também somos apresentados a mais uma das novas músicas feita para o seriado: Wondering, incrivelmente performada por Nini e Ashley (Julia Lester), e essa que parece ser uma música feite especialmente para a Senhora Darbus (coisa que nunca foi feita nos filmes) acaba se tornando mais uma canção que questiona Nini sobre o que ela já fez e pode fazer, se tudo o que está rolando é a coisa certa e se ainda existe a chance de tudo voltar diferente e melhor. E com isso entendemos que além das releituras das músicas antigas, esse seriado vai realmente apostar na independência dos filmes.

O segundo capítulo de High School Musical: The Musical: The Series continua a nos presentear e impressionar em cada nova cena, e aumenta a nossa ansiedade para assistirmos o que vem mais a frente num show com tanto potencial.