Chegamos aquele típico episódio de meio de temporada, onde muito tempo em tela é usado para nada importante e o fim é pouco instigante. Riverdale peca por apostar em não tão boas histórias quando claramente tem potencial para mais.

Eu vou começar essa review um tanto diferente desta vez porque li em um fórum de comentários pessoas que tem a mesma percepção que eu quanto as narrativas sobrenaturais de explicações duvidosas. E vi também pessoas que defendiam e diziam que não entendia aqueles que exigiam uma narrativa mais concreta sendo que a série sempre entregou algo mais bobo. Mas é justamente por conta do potencial enxergado, todo custo, um elenco grande e uma fotografia bem interessante que é difícil engolir umas tramas tão sem sentido.

Mas vamos ao episódio. Parece que Kevin e Fangs mantinham um relacionamento aberto, o que nunca ficou muito claro nos outros episódios, mas tudo bem. Senti essa dificuldade em engolir do nada uma cena do Kevin com um caminhoneiro. O episódio seguiu, vimos que essa coisa dos casinhos era consensual, mas Fangs agora quer exclusividade e Kevin não.

Apesar de tudo, Fangs e Kevin anunciam que estão noivos e que irão criar o bebê de Toni junto com ela, assim sendo uma família não convencional. Tudo muito bonitnho, a galera aceita de boa, menos Cheryl que não fica feliz com a notícia. Mesmo assim, no fim do episódio Kevin diz não estar pronto para casar com Fangs. A crise da meia idade chegou cedo para o nosso professor.

Por falar em Cheryl, ela ganhou um pouco mais de destaque neste episódio quando, após uma conversa com a avaliadora de quadros, resolve dar uma festa de troca de casais, onde tudo será permitido. Aqui temos que ressaltar dois pontos: a estranha e repentina aproximação da ruiva com essa avaliadora e como essa mulher pode ser manipuladora porque aceitou não denunciar Cheryl em troca de um quadro dela. Achei sem sentido e acho que ela vai vir por mais em breve.

Na festa, que tinha tudo para ser o auge do episódio mas foi totalmente flopada, Cheryl tenta reatar com Toni mostrando um quarto de bebê na casa dela e tudo mais, mas a rainha dos serpentes não aceita. Aliás, nem em bons termos as duas estão. Cheryl fica tão desolada que termina beijando a avaliadora no final. Vamos acompanhar a relação das duas.

E aí que começamos o episódio com Betty e Archie juntinhos, inclusive com ele fazendo o sexy e se vestindo de bombeiro para ela. Achei que a relação dos dois ia evoluir e tal, até porque eu senti indícios que o Archie estava se apaixonando, mas não foi o que aconteceu.

Veronica resolveu reformar a casa dela e contratou Archie para fazer ciúmes ao marido. Ele fica tão mexido que acha que pode estar se apaixonando por Veronica novamente. Ele conta tudo isso para Betty na festa, que compreende e fala que não quer o machucar, nem usar seus sentimentos. Eles resolvem terminar o casinho para ficar somente como amigos. Nem sei o que pensar com esse fim de Barchie.

Assim, a morena resolve se divorciar e vai até o prédio do corpo de bombeiros falar tudo para Archie, que também conta que ficou algumas vezes com Betty. Mesmo assim os dois se beijam e parece que vão voltar a ficar juntos. Só digo que ele arrumou sarna para se coçar porque esse Chad parece ser um Hiran piorado quando se fala de ciúmes.

No andamento dos plots em aberto, Betty recebe a notícia de outro corpo achado no pântano que não é de Poly. Isso abala tanto Alice, que acredita que a filha ainda está viva, que ela diz diz ter recebido um telefone de Poly, mas Betty não acredita. Ela fica dizendo que não está louca e que Poly realmente ligou, até que o telefone toca novamente e Betty atende. Poly fala com irmã e pede ajuda da estrada e Betty vai com Alice atrás da desaparecida. Chegando lá elas se encontram uma cabine de telefone ensanguentada. Cansada já desse morre/não morre da Poly viu? Ou aparece ou some de uma vez.

Em um mundo paralelo da história está Jughead que considera o grupo de apoio por conta da experiência sobrenatural que viveu, mas logo se arrepende na primeira reunião. Por conta disso ele volta a beber exageradamente e Tabitha o aconselha a procurar um especialista para entender a experiência sobrenatural que teve.

A história está ficando cada vez mais em aberto e não sabemos para que rumos vamos ser levados. Eu só espero que não sejam tão ruins como a gente começa a imaginar.