Aparentemente Riverdale busca uma redenção em seus momentos finais de temporada. Esse episódio tenta retomar uma forma que lembra a primeira temporada, mesmo continuando com alguns arcos fantasiosos, mas existe uma esperança da série se tornar algo mais maduro após ver alguns diálogos como o de Jughead e Betty. Mas vamos ao episódio

Começamos com um Archie que resolve lutar contra seus demônios do tempo de exército e abrir um tribunal militar contra o general corrupto que fez com que sua tropa fosse morta em combate. O ruivo vai atrás de cada família para ter a autorização e, no fim, consegue condenar o general.

Veronica vive o seu próprio plot. Ainda tentando buscar quitar as dívidas do ex-marido, ela se envolve em um esquema de roubar o paládio do pai com a ajuda de Reggie, Hermosa e Cheryl, fazendo um leilão e recuperando o dinheiro que precisava para pagar aos investidores. Ainda sobra tempo para ela tripudiar de Chadwick quando ela consegue acabar com seu novo investimento e mostra ao pai que ele não tem mais o paládio. De quebra ainda soubemos que Reggie viveu um romance com a irmã de Veronica.

Já no arco dos religiosos temos uma Penélope muito irritada em perder o posto para Kevin e Cheryl na igreja e resolve acabar com os musicais. Numa tentativa de retomar o controle, a dupla tenta fazer com que os fiéis acreditem que Cheryl é uma santa e reproduz três (falsos) milagres. Só que no fim do terceiro, que envolve abelhas, Kevin vai perguntar qual foi o truque usado e Cheryl diz que nenhum e que acredita que realmente foi um milagre e que ela pode ser "a santa dos Santos". Olha, tenho nem palavras para isso.

E temos também um perturbado Jughead em processo de recuperação. Ele está frequentando as suas reuniões do AA e, como um dos seus passos, busca pedir desculpas para todos que ele causou problemas. Ele procura Betty e encontra uma Alice deprimida (provavelmente arco para os próximos episódios), depois segue para Tabitha e tenta recuperar o emprego na escola.

Infelizmente ele é banido da escola e agora tenta correr atrás de recuperar sua carreira como escritor. Ele procura Tabitha para saber do livro que escreveu na noite que se drogou, mas descobre que elas entregaram o manuscrito para Jessica. Desiludido e sem tempo para escrever, ele envia uma cópia de um romance escrito por uma caloura que ele conheceu há alguns anos e o editor ama. Porém, no fim, ele dá para trás e diz que não foi ele que o escreveu. O agente da uma nova chance para Jughead e Tabitha o convence a voltar para as reuniões e focar na sua reabilitação.

Nesse plot Betty tem uma conversa bem profunda com Jughead. Nossa loirinha está se vestindo como Polly e trabalhando na Estrada Solitária em uma tentativa de achar o assassino das meninas. Ela lamenta que não consegue deixar esses instintos de lado e continua buscando por respostas, deixando bem claro o quanto os genes de serial killer que ela carrega afeta em suas habilidades sociais.

Já terminando o episódio temos ela e Tabitha na Estrada Solitária, em mais uma tentativa de busca pelo assassino. E ainda temos uma narração de Jughead dizendo que pressente que coisas ruins vão acontecer. Vamos aguardar os próximos acontecimentos.