play_arrow
Assista ao trailer: Riverdale 3x12 Promo Legendado
videocam

Mais uma review de Riverdale e essa semana confesso que achei mais interessante. Talvez porque tenha fugido mais da pegada sobrenatural, mas os dramas menores que se resolveram bem rapidamente foram o que chamou mais minha atenção. Vamos recapitular.

O episódio começa com Tom e Sierra anunciando o casamento para os filhos. Eles querem algo simples, mas Josie faz questão de dar uma festa. Nisso surge Marcus, pai do Moose e o responsável pelos cadetes. Ele foi convidado para festa, mas não reage bem ao convite. O que achamos ser uma crise idiota e sem sentido de ciúmes (já que mal tivemos contato com a história do personagem até o momento) ficou parecendo sem sentido e teve outro rumo no final.

A partir disso somos introduzidos em outro drama do episódio: a admissão de Cheryl na faculdade. Acontece que a mãe dela que não tem mais nada a fazer a não ser ferrar com a vida da ruiva e resolveu se meter e brecar a entrada de Cheryl na faculdade por ela ser lésbica. Nisso tudo começa todo um levante em prol dos homossexuais com direito a brigas e saídas de armário.

Sim, falando em sair do armário estamos falando de Moose. Nosso Kevin não aguenta mais ficar no zero a zero às escondidas e meio que força Moose a se assumir para o pai para eles poderem ficar juntos. Essa premissa toda é meio problemática por ter Moose, um garoto que não está preparado para se assumir, e um pai militar rígido e conservador (era o que pensávamos).

O outro drama menor do episódio envolveu Veronica e Reggie. O casal que voltou as boas agora estão encrencados com Hermione por terem queimado as drogas. Ela obrigou a dois adolescentes a serem os responsáveis a lidar com o prejuízo de um traficante e dar um jeito de ressarci-lo. Cenas que só veremos em Riverdale.

Sem instinto materno nenhum, Hermione simplesmente vira as costas e Veronica se vê sem saída tendo que roubar o próprio sogro. Reggie leva um arranhão de tiro (sim, isso mesmo) que na hora foi um enxame só, mas passa bem. E aí eles vão entregar o dinheiro. O plot twist veio na pessoa que foi buscar as notas manchadas: ela, Gladys Jones. A mamãe do Jughead. O grande mistério envolvendo essa narrativa foi saber como Veronica conseguiu dirigir um carro de fuga com aqueles saltos enormes. Não dois adolescentes planejarem um assalto, mas sim a combinação fuga+saltos.

O que Gladys quer na cidade ainda não sabemos, mas envolve ter o controle de todo o poder que exista sobre as autoridades de Riverdale. Inclusive usando sua própria filha para ganhar FP, que pareceu meio desconfiado.

O drama de Josie envolveu Archie e a faculdade. Primeiro que ela vai atrás de Sweet Pea para ser o seu acompanhante no casamento, só que o garoto quer ser oficial, o que Josie não tá muito afim (pelo menos não com o Serpente). Eu nem lembrava que os dois tiveram um caso, mas vida que segue. Ela fica toda deprimida porque tem um teste para Julliard, mas não tem como chegar até lá (alô ônibus?) e Archie fica comovido e resolve ir com ela até lá. A morena não foi admitida na faculdade e fica arrasada o que junta ainda mais ela com o ruivo.

Tá nesse ponto preciso fazer dois comentários: amei a forma que eles desenvolveram os dois, com calma e juntando afinidades que eles já compartilhavam e que eles se encontraram em um momento bom para os dois. Valorizo a não forçação de barra. O segundo comentário é que eu estou shippando os dois juntos! Hahahha não esperava, mas toda a cantoria me fez enxergar uma química ali e achei tão fofo que estou esperando por mais.

Voltando ao núcleo da Cheryl, teve ela chantageando a mãe, teve ela sem noção, teve briga com a Toni, fazendo as pazes com a Toni, arrumando faculdade para a Toni e teve até criação de um novo grupo de meninas agora chamadas de Bonitas e Venenosas. Quero só ver o que mais elas vão aprontar. Já ficou claro que o mundo da Cheryl é a Toni e tudo vai envolver ela certo?

 O plot mais importante do episódio passou meio batido no meio de tantos dramas acontecendo. O Clube da Meia Noite recebe cartas do Rei Gárgula convocando todos a voltarem ao colégio para uma última rodada do jogo que ia finalizar a Noite da Ascensão. O motivo é o casamento de Tom e Sierra, o que eu não entendi bem no começo, e o remetente usa os filhos dos nossos adultos como chantagem para que eles compareçam.

Acontece que tudo não passou de uma distração para o “Rei Gárgula” tirar os pais de perto dos filhos para o ataque. Mas qual deles seria? Nisso começa um festival de ligação para os filhos e adivinha só, todos estavam se pegando, com exceção de Archie e Josie (naquele momento). Até Betty só apareceu no episódio enquanto se enroscava com Jughead. Achei o momento meio vergonha alheia, mas prossigamos.

O filho em questão era Kevin que foi pego junto com Moose no bunker para um ritual com o Rei. Só que Cheryl sabia onde eles estavam e todo mundo brota lá na hora. Termina-se descobrindo que quem estava de Rei Gárgula era o pai do Moose querendo dar um susto nos garotos.

Vamos aqui a rápida história de Marcus: ele era cadete junto com Tom e tinha uma quedinha por ele, até que um dia ele tentou beijá-lo mas não foi correspondido. Nisso os pais de Marcus resolveram mandar ele para o orfanato das Irmãs que iam curar seu “desvio de caráter”. Lá ele conheceu o Rei Gárgula e teve a brilhante ideia de tentar fazer o mesmo com o filho após descobrir que ele estava saindo com o filho do seu ex crush. No final era ciúme sim, só não era da Sierra.

E aí resta a dúvida, existe mesmo um Rei Gárgula ou o posto fica disponível para quem tem interesse? Gladys tem planos com Hiram ou maiores do que ele? E a Fazenda, sucumbiu? Quarta, em Riverdale.